Alerta para as Mães Bebê perde a vida ao ficar duas semanas com a mesma fralda

Pai, que seria usuário de drogas, foi à corte nesta semana, um ano depois do ocorrido. Caso se passou em Iowa, nos Estados Unidos

Ser mãe não é uma tarefa muito fácil, mas sem dúvida é um sonho realizado para a maioria das mulheres que se dispõem a entrar nessa jornada. Apesar de ser considerado algo realmente maravilhoso, os primeiros meses de vida da criança são bem cansativos para a nova mamãe.

Afinal de contas, o bebê está em uma fase de adaptação e costuma trocar o dia pela noite, além de ter muitas cólicas.

PUBLICIDADE

Detalhes do triste caso foram revelados durante o julgamento. De acordo com o jornal britânico Daily Mail, o assistente do procurador geral Coleman McAllister, informou o júri que o pequeno morreu em decorrência de uma forte assadura.

Ele ainda informou que a fralda cheia de fezes acabou atraindo insetos que puseram seus ovos, o que fez com que a fralda ficasse infestada de larvas. O bebê então ficou com uma terrível assadura e acabou contraindo a bactéria e.Coli. “Ele morreu de assadura! Isso mesmo, assadura!”, disse McAllister ao júri.

PUBLICIDADE

Também foi reportado que o pequeno estava malnutrido e desidratado. O casal tem outra filha de dois anos, mas a menina estava saudável quando os socorristas encontraram seu irmão morto. 
O pequeno foi encontrado após seu pai ligar para a emergência informando que ele havia morrido. Ele afirmou ainda que o pai tinha renda para comprar comida e itens de higiene. McAllister acusou o homem de ser usuário de drogas.

O primeiro socorrista a encontrar o pequeno, o enfermeiro Toni Friedrich, se emocionou ao relatar no julgamento as condições em que o menino estava.

Ele afirmou que Sterling estava em um quarto escuro e abafado e que suas roupas estavam pegajosas e com crostas de sujeira. O enfermeiro ainda relatou que ao retirar o lençol que cobria a parte de baixo do menino, moscas voaram em sua direção.

Durante a autopsia, foi possível constatar que o bebê não havia sido lavado, trocado ou retirado da cadeirinha de balanço por mais de nove dias.

O médico responsável pela autopsia afirmou que o pequeno foi assassinado já que seus pais falharam em lhe proporcionar os cuidados básicos.Um amigo dos pais relatou no julgamento que o casal é usuário de drogas. O julgamento continua sendo  realizado .

.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]