Aluno que chegou ao hospital com machado pendurado no ombro disse: “O assassino tacou o machado em mim”

Aluno que levou golpe de machado sobrevive a ataque em escola de Suzano e conta o horror que viveu.

José Victor Lemos é um dos sobreviventes do ataque que aconteceu nessa quarta-feira (13) na escola estadual Raul Brasil em Suzano região Metropolitana de São Paulo, o adolescente contou que viu o momento em que um dos atiradores atirou no aluno que tentava abrir a porta de uma sala para fugir.

José Vitor Foi ferido com um machado em seu ombro, ele foi operado no hospital Santa Maria e passa bem, o jovem relatou os momentos de pânico devidos na escola:

“Parecia bomba. Daí eu vi que não era bomba era tiro. Apareceu moleque saindo da diretoria com a arma na mão. Todo mundo correndo e ele atirando. Vi um moleque agarrando a porta tentando abrir a porta da sala e o terrorista encheu ele de bala.

Fui na diretoria e vi as tias, a diretora caída no chão já morta. Vi o outro assassino na frente. Ele tacou um machado em mim e eu saí correndo e vim para o hospital”.

O médico Austelino Vieira Matoso, angiologista foi quem recebeu o aluno ferido da escola com machado em seu ombro direito, ele foi levado imediatamente para o centro cirúrgico para a remoção do machado e para ver se não atingiu nenhum vaso, o médico também informou que a cirurgia durou aproximadamente uma hora e meia.Clique na seta abaixo, após a publicidade, para continuar lendo a matéria.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 2