Amiga da mulher que morreu após reação alérgica ao pintar o cabelo, disse que Karine não informou a cabeleireira que já tinha passado mal ao usar a tinta em casa:”Ela não teve culpa nenhuma”; diz

Uma amiga da mulher que passou mal após aplicação da tinta, diz que em dezembro ela já tinha passado mal, após crise grave.

Já não é a primeira vez, que Karine tinha alergia a tinta de cabelo. Segundo as informações obtidas através de uma amiga, ela já teria passado mal ao aplicar tinta nos cabelos anteriormente. A vítima teve morte cerebral passado três dias que fez o procedimento.

Karine tinha sido internada na última quarta (10), na Santa Casa de Catalão depois de ter passado mal, e foi de imediato socorrida pelos meios de socorro, ainda no salão de beleza, onde estava a pintar o cabelo. A morte cerebral foi confirmada no último sábado (13).

PUBLICIDADE

Thais da Costa Tomé, de trinta anos, auxiliar administrativa, falou que em dezembro do último ano, Karine, sofria de asma, também sofreu uma reação alérgica depois de pintar o cabelo em casa, e precisou de ser levada para o UPA da cidade.

De acordo com Thais, ela disse que a amiga ficou muito ruim, muito ruim mesmo. Ela sofreu uma crise de asma, e acabou por fechar o glote, e teve que usar adrenalina, corticoide, e o caso foi muito sério mesmo.

PUBLICIDADE

Aproximadamente um mês depois, Karine tinha falado com a amiga, no qual ambas já tinham uma amizade há nove anos, que tinha encontrado uma tinta antialérgica, que era importada, e que a iria testar. Ela conta ainda, que ambas ficaram em chamada de vídeo, durante uma hora e meia, enquanto a amiga aplicava a tinta em casa, mas nesse dia não aconteceu nada.

Foi então, que Karine decidiu levar essa mesma tinta, para o salão de beleza no último dia dez, segundo disse a amiga. Ainda de acordo com ela, ela não comentou com a cabeleireira, que já tinha sofrido uma reação alérgica à tinta de cabelo.

Thais afirma ainda que ela não informou a profissional do salão, sobre o episódio que já tinha ocorrido em dezembro. A cabeleireira, disse que não sabia, que ela já tinha sofrido uma reação alérgica anterior. Neste caso, a cabeleireira não teve qualquer culpa, disse Thais.

A auxiliar falou ainda que, a amiga tinha passado mal instantaneamente. Que quando ela acabou de passar a tinta na raiz, ela já tinha pedido para a cabeleireira lavar, porque começou a sentir uma coceira nas mãos, e no couro cabeludo. Mesmo tendo lavado o cabelo de imediato, ela já desacordou.

Tudo aconteceu rápido demais, foi um choque anafilático, completa a amiga.

 

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!