ANS derruba obrigatoriedade dos Planos de Saúde à cobrirem teste sorológico da COVID-19

Justiça derruba liminar onde os planos de saúde eram obrigados à cobrir teste da COVID-19

O exame por sua vez mostra se há anticorpos IgA, IgG ou IgM no sangue daqueles que foram contaminados pela COVID-19.

De acordo com a decisão do tribunal, a inspeção foi incluída na lista de procedimentos obrigatórios para o plano de saúde no final de junho.

PUBLICIDADE

“Da mesma forma, como um elemento para impedir a intervenção do judiciário e determinar que o sujeito esteja pelo menos na” zona de incerteza “, verificou-se que as condições de saúde atualmente vivenciadas ainda estão infiltradas devido à falta de consenso científico ou sobre o SARS-COV-2 ( Se o comportamento do coronavírus ou da covid-19) é a validade do chamado “passaporte de imunização” (que deve ser detectado pelo teste de IgG), afirmou o juiz Leonardo Augusto Nunes Coutinho, juiz do Tribunal Federal. Decisão do quinto distrito.

Segundo o coordenador executivo da associação de defesa do usuário de seguros, planos de saúde e usuários do sistema (Aduseps), Renê Patriota entrou com uma ação pública para solicitar cobertura, a ANS deve prestar serviços para profissionais de saúde, não para consumidores. A entidade apelará para tentar anular a decisão.

PUBLICIDADE

“[Liminar] foi revogado, mas estamos providenciando uma apelação. O desembargador suspendeu o recurso. A ANS afirmou que [o exame sorológico] não se faz necessário, dizendo que é RT-PCR [o exame indica que é importante para a análise], mas as operadoras de planos de saúde estão preocupadas.

Vai custar dinheiro, embora a ANS tenha dito que isso não é bom, a Anvisa solicitou que o teste rápido fosse vendido em farmácias, o que é inútil. A ANS atende as operadoras, não defende os consumidores. “, ele confirmou.

Posteriormente, a Aduseps enviou uma nota para reforçar sua posição sobre a proibição. Ver texto completo:

“A atitude da ANS ao enviar documentos para a AI (Agravo de Instrumento) é uma solicitação indireta para anular a proibição. Isso é um insulto e falta respeito pelos consumidores que pagam por planos de saúde e seguros.

Escrito por News Report

Colunista de notícias, visando levar a informação à leitores diversos, através da internet, mídias sociais, redator de plataforma em diversos assuntos.