Auxílio Emergencial: Bolsonaro confirma 4° e 5° parcela, porém vetará se parcela for maior que R$300.

Em live Bolsonaro fala sobre calendário da 3° parcela, prorrogação do beneficio e que vetará caso o valor seja maior que R$300,00.

Na noite desta quinta-feira dia 11 de junho, o presidente Jair Messias Bolsonaro, fez mais uma de suas lives. Dentre vários assuntos mais comentados, falou sobre o auxilio emergencial que é uma medida cria pelo governo federal para o enfrentamento da crise causada pela pandemia do novo covid-19.

Os beneficiários que estão ansiosos pelo calendário, Bolsonaro disse que a divulgação oficial será feita na próxima semana e todos terão acesso as datas do depósito de R$600 na conta digital dos aprovados.

PUBLICIDADE

Quanto a 4ª e 5ª parcela, o chefe executivo federal disse que o valor será de R$300 e que o governo não tem como garantir um valor maior que esse.” Por exemplo, vamos supor que venha uma proposta de R$300. Se a Câmara quiser ultrapassar o valor estimado.

Qual vai ser minha opinião, para que o Brasil não quebre? Se a gente pagar mais duas parcelas de qualquer valor maior do que esperado, vamos ter uma dívida enorme e cada vez mais impagável. É o veto.” afirmou Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Inicialmente estava previsto que os beneficiários do programa recebessem até três parcelas no valor de R$ 600, mas com o prolongamento da pandemia, a equipe econômica refez os cálculos e fará o pagamento de mais duas parcelas.

Segundo Bolsonaro, se o governo pagar mais duas parcelas com valor atual de cada uma, isso geraria uma despesa de mais de 100 milhões. O presidente disse que a atenção as despesas é primordial para evitar subida da taxa Selic.

Lembrando que nesta segunda dia 8 de junho, o ministro da economia Paulo Guedes teve uma reunião com os deputados que  na ocasião deram indícios de intenção de elevar esse valor R$300.

O ministro também deu detalhes de retomar a proposta da qual chegou a comentar o ano passado sobre a substituição do Programa Bolsa Família para o Renda Brasil que será mais abrangente e pagará cerca de 40 milhões de pessoas, incluindo informais identificados pelo governo durante a pandemia.

Antes de encerrar a live, o presidente da república finalizou dizendo que está torcendo para que a pandemia acabe logo e o povo brasileiro se restabeleça financeiramente e retome aos seu trabalhos.

Escrito por Redator Viviane Santos

Comunicação de notícias dedicado a TV e famosos, política, curiosidades, humor, relacionamentos, saúde e culinária.