Auxílio Emergencial: Congresso pode adotar medida inesperada para prorrogar benefício novamente

O benefício pode ser prorrogado se presidente aceitar proposta.

Pouco depois do início da pandemia do novo coronavírus, o governo brasileiro precisou tomar providências para ajudar financeiramente às pessoas que haviam sido prejudicadas com o período de quarentena exigido pelas organizações de saúde para conter o alastramento do vírus.

A medida tomada pelo governo foi o auxílio emergencial, um benefício que já ajudou mais de 50 milhões de pessoas por todo o país. O valor inicial que havia sido mencionado no congresso era de R$ 200,00, mas, felizmente, foi elevado até chegar ao acordo de R$ 600,00.

PUBLICIDADE

A meta do governo era pagar o valor do auxílio por cinco meses. Mas depois, com o país em estado de calamidade por causa da pandemia, ficou decidido que o benefício seria pago ainda por mais três meses, só que com parcelas reduzidas para R$ 300,00, sendo o dobro para chefes familiares.

Agora, os participantes do congresso querem novamente prorrogar decreto de estado de calamidade, que tem prazo de validade até o último dia deste ano, para continuar pagando o auxílio emergencial, de acordo com o site Folha de São Paulo.

PUBLICIDADE

Devido à dificuldade par aderir ao programa Renda Cidadã, que irá substituir o bolsa família, que é um programa de benefício para famílias carentes, os congressistas pretendem que o coronavoucher seja estendido para continuar ajudando os brasileiros em meio à crise.

Segundo eles, o tempo servirá para concluir o projeto de criação e adequação do Renda Cidadã, que deverá beneficiar milhões de brasileiros.

Escrito por Lane C

Colunista de notícias relacionadas à Televisão, famosos nacionais e internacionais, saúde, humor e também curiosidades no geral.