Bebê de 1 mês não resiste depois de receber alta com falso diagnóstico e mãe Alerta: “fique atenta”

A mãe decidiu fazer um alerta sobre os perigos da infecção.

A bebê Evianna Rose morreu 48 horas depois que a mãe a levou ao hospital, lá ela recebeu um diagnóstico falso. A mãe Ginger levou a criança ao médico no dia 15 de Março e contou como tudo aconteceu:

“Ela acordou e eu percebi que algo estava errado. Ela estava fazendo um som estranho, como um choro fraco”.

PUBLICIDADE

A mãe contou que os médicos no período da gestação fizeram um exame para Estreptococo grupo B e o resultado foi positivo:

“Mesmo assim, os médicos só fizeram exames de sangue básico, deram soro e Tylenol. Eles disseram que era só um vírus e nos mandaram para casa”. Hoje a mãe sabe que isso já era um sintoma de infecção por Estreptococcus do grupo B.

PUBLICIDADE

Normalmente a bactéria não causa complicações em crianças, mas o risco da infecção se complicar e se transformar em algo pior como uma pneumonia, meningite, existe:


“Eu acreditei nos médicos. Eles me disseram que eu não deveria me preocupar, que era um vírus normal, que era o sistema imunológico da minha filha ficando mais forte” desabafou a mãe que acabou perdendo seu bebê de apenas 1 mês.

A mãe então, sem mais o que fazer voltou para casa com a criança, mas o quadro da menina só piorava até que criança começou a vomitar. Já desesperada e sem saber o que fazer com a criança passando muito mal, a mãe levou a filha no médico de confiança da família, ao examinar a menina o médico percebendo a gravidade da situação aconselhou a mãe que levasse a garotinha imediatamente para o hospital, mas chegando lá já era tarde demais, a menina não resistiu a infecção e morreu.

Apesar de ter vivido esse episódio triste a mãe decidiu contar sua história para alertar outras mães sobre os perigos da infecção por Estreptococcus do grupo B:

“Quando eu fui diagnosticada com Estreptococcus do grupo B na gravidez os médicos agiram como se não fosse nada demais, desde que eu tomasse o antibiótico na gravidez estaria tudo bem. Não me deram antibióticos no parto e nem para minha filha após o nascimento. Querem que as mulheres saibam que testar positivo para Estreptococcus do grupo B na gravidez pode ter consequências sérias e que é preciso fazer todo o tratamento e ficar atenta”.

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]