Bolsonaro nega laços com atirador de Marielle em entrevista no exterior

“Sou um capitão do Exército brasileiro, e parte dos oficiais da polícia do Rio de Janeiro é de grandes amigos meus. Por coincidência, um desses suspeitos de ter matado a Marielle não era na verdade vizinho meu, mas morava do outro lado de uma outra rua [do condomínio] — disse Bolsonaro. — Mas, a mídia sempre me criticou e estabeleceu uma conexão.”

Quando questionado sobre outros pontos polêmicos com relação ao carnaval e ao público LGBT, por exemplo, se contrapondo contra diversas acusações, o presidente declarou:

“Se eu fosse tudo isso, eu não seria eleito presidente. Há um grande número de notícias falsas, mas a população aprendeu a usar redes sociais e pessoas não mais acreditam nem confiam na imprensa tradicional — afirmou com veemência.

Não tenho nada contra homossexuais nem contra mulheres e não sou xenófobo, mas quero ter minha casa em ordem. A definição de família para mim é uma só, aquela da Bíblia.

Se você quer se envolver numa relação homossexual, vá adiante, mas não podemos deixar o governo levar isso para a sala de aula e ensinar isso para crianças de cinco anos.”

Durante a entrevista à Fox News, Jair Bolsonaro também se mostrou um admirador do presidente do Estados Unidos, Donald Trump e também mostrou apoiar as políticas restritivas de Trump.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]