Bolsonaro rebate criticas sobre novas parcelas do auxilio emergencial e afirma: “R$ 300 é pouco, mas pra quem paga é muito”

O presidente falou sobre os valores das novas parcelas a serem pagas nos próximos meses.

O auxilio emergencial foi criado pelo governo na intenção de ajudar as famílias que foram afetadas diretamente por causa da pandemia do novo coronavírus.

No começo as parcelas eram fixas no valor de 600 reais, mas com o passar dos meses, o governo admitiu não ter dinheiro suficiente para continuar pagando esse valor aos brasileiros.

PUBLICIDADE

E por isso uma nova proposta de valor das parcelas foram enviados, onde elas passaria a ser de 300 reais, sendo assim reduzidas a metade, no entanto isso não agradou a muitas pessoas que dependem da ajuda desse dinheiro para colocar comida em casa.

E no dia 3 de Setembro, o presidente da republica Jair Bolsonaro esteve presente em um evento que ocorreu em Eldorado, em São Paulo, onde ele falou um pouco sobre o auxilio emergencial.

PUBLICIDADE

Bolsonaro disse durante o evento que as pessoas reclamaram do valor proposto por seu governo, que ele é muito pequeno. No entanto, essa é uma medida do governo para ajudar a população sem que o Brasil se endivide ainda mais, porque os benefícios foram pagos nos últimos meses deixando um grande buraco a ser tampado.

Com base na declaração do presidente, seu valor é sim muito pequeno para atender as necessidades das pessoas, mas para quem paga, no caso o Brasil, seu valor é muito alto.

E garante que o país não possa continuar com uma dívida tão grande, que só o valor do auxilio emergencial mensal chega a quase 50 bilhões de reais.

O presidente destacou ainda que a doença não atinge o país tanto quanto as medidas tomadas para enfrentar a nova pandemia do coronavírus, somando 4 milhões de brasileiros afetados e mais a morte de 123 mil.

Bolsonaro também aproveitou a oportunidade para apelar aos governadores e aos prefeitos que reconsiderassem a situação e se certificassem de reabrir os comércios locais para que a situação não piore ainda mais.

O presidente destacou ainda que, mesmo que não haja um medicamento comprovadamente eficaz contra o coronavírus, o único remédio que pode tratar a doença ao seu ver é a hidroxicloroquina.

 

 

 

 

Escrito por Margareth Santos

Gosto de dedicar uma parte do meu tempo levando noticias e informações através de matérias relacionadas a tudo, inclusive de saúde, culinária, famosos e do mundo da maternidade.