Caso Caroline: mulher motorista de aplicativo é encontrada morta com tiros na cabeça

O corpo de Caroline Nogueira Rodrigues, de 36 anos, foi encontrado em uma estrada de chão com uma perfuração condizente com tiro de arma de fogo.

Um caso que aconteceu no Rio Grande do Sul tem chocado o Brasil, depois que a polícia descobriu detalhes do que aconteceu. O corpo de Caroline Nogueira Rodrigues, de 36 anos, foi encontrado em uma estrada de chão com uma perfuração condizente com tiro de arma de fogo. A polícia foi acionada depois que tiros foram ouvidos na região.

PUBLICIDADE

O caso ainda desperta questões, Caroline era motorista de aplicativo e também trabalhava como cabeleireira. A polícia já teve acesso as últimas corridas realizadas por Caroline pelo aplicativo e nenhuma teve algum tipo de reclamação ou eventualidade que chamasse a atenção, mas os investigadores ainda tentam descobrir se o crime aconteceu enquanto ela trabalhava para o aplicativo. A primeira linha investigativa é de homicídio, mas a polícia não descarta a possibilidade de um latrocínio, já que ela foi encontrada apenas com a roupa do corpo, sem carteira, celular ou qualquer outro objeto.

“Não havia, visualmente, indícios de violência sexual, mas já solicitamos à perícia para averiguar essa hipótese também”, declarou Eduardo Amaral, delegado encarregado pelo caso. O corpo de Caroline ainda passará por perícia para descobrir o que aconteceu com a mulher nos momentos antes do crime.

PUBLICIDADE

O carro de Caroline, um FIAT Siena, foi encontrado na Estrada Madorin, no bairro Estância Antiga, zona rural de Gravataí. O carro estava inteiramente incendiado, mas os peritos foram capazes de confirmar o carro pelo chassi. A polícia ainda não identificou nenhum suspeito.

Em nota, a UBER delcarou que lamenta o que aconteceu e liberou os dados das últimas corridas de Caroline:

Traz enorme tristeza à Uber que cidadãos que desejam apenas trabalhar ou se deslocar sejam vítimas da violência que permeia nossa sociedade. Compartilhamos nossos sentimentos com a família de Caroline Nogueira Rodrigues neste momento tão difícil, e esperamos que as autoridades tragam os responsáveis à justiça o mais rapidamente possível.

Caroline atuava como motorista parceira, mas suas últimas viagens pelo aplicativo da Uber foram concluídas normalmente, não havendo, ao que tudo indica, qualquer relação com o ocorrido. De qualquer forma, a Uber permanece sempre à disposição dos órgãos de segurança para colaborar com as investigações, na forma da lei.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]