Caso Henry: Garoto reclamava de contados físicos do padrasto

O relato em questão foi feito pelo pai de Henry durante uma entrevista

O garoto Henry Borel, de apenas 4 anos de idade, faleceu durante a madrugada do dia 8 de março. Ele estava em sua casa, acompanhado por sua mãe , Monique  Medeiros e o seu padrasto, o vereador conhecido pelo apelido de Dr. Jairinho. A família vivia em um condomínio localizado na Bara da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

É possível afirmar que o caso em questão atingiu repercussão nacional. Henry chegou ser levado para o hospital, mas faleceu antes mesmo de chegar ao local citado. De acordo com o relato de Monique e Jairo, eles escutaram um barulho no quarto do menino durante a madrugada e o encontraram caído ao chegar no local.

PUBLICIDADE

Após o laudo do IML apontar para uma série de lesões que são consistentes com violência, o caso passou a ser abordado de outra forma. Assim, uma troca de mensagens entre Monique e o pai de Henry, Leniel Borel, foi divulgada no último domingo (21) pelo Fantástico. Nas mensagens é possível ver que o menino sentia dificuldades para voltar à sua casa sempre que passava um tempo com o pai.

Assim, durante uma entrevista ao Domingo Espetacular, exibido pela Record TV, Leniel chegou a falar a respeito de Monique e Dr. Jairinho. Ao comentar a respeito da mãe do menino, ele afirmou que a considera uma boa mãe. Entretanto, fazia tempo que Henry reclamava do padrasto, afirmando que ele lhe abraçava muito forte e isso o incomodava.

PUBLICIDADE

 

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.