Com dinheiro público, militares fizeram compras de 80 mil cervejas e 700 toneladas de picanha

Os dados foram apresentados à Procuradoria-Geral da República pelo PSB

Após ter vindo a toda a polêmica a respeito da compra no valor de R$15 milhões em leite condensado, as Forças Armadas agora se envolveram em uma nova situação polêmica, de origem gastronômica como a anterior. Desta vez, a situação envolve picanha, carvão e cerveja.

De acordo com um levantamento que foi feito pelos deputados do PSB, foi comprovado que os comandos das Forças Armadas fizeram compras, através de licitações, de cerca de 80 mil unidades de cerveja, além de terem comprado também 700 toneladas de picanha.

PUBLICIDADE

O relatório indicou também que ocorreu nesta compra um superfaturamento de mais de 60%, ao comparar o preço dos itens em questão em supermercados. Os dados foram obtidos através do orçamento federal. Levando os números levantados em consideração, o grupo então resolveu apresentar uma denúncia diretamente à Procuradoria-Geral da República, contra o governo federal, em relação aos gastos.

No documento constava que em meio a um ano de pandemia, com crise sanitária, econômica e social, que devastou totalmente o país, este tipo de situação é algo inacreditável, visto que os cofres públicos fizeram o custeamento de compras de cerveja. Ao que tudo indica, as tropas são muito exigentes para fazer um churrasco.

PUBLICIDADE

Isso por que as cervejas que foram compradas para os momentos, são todas de marcas conhecidas. Enquanto isso, as carnes também são todas de primeira, como apontado no documento. O relatório indicou que foram compradas 500 garrafas de Stella Artois, mil garrafas de Heineken e também foram compradas garrafas de Eisenbahn. O quilo da picanha adquirida apontava um valor de R$118,25.

 

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.