Corpo do jogador argentino Emiliano Sala é velado em cidade onde sua carreira começou

O atleta viajava para o Reino Unido, onde iria atuar no Cardiff depois de uma transição milionário quando, devido a uma pane, o avião em que estava caiu no Canal da Mancha, em 21 de janeiro.

Finalmente família de Emiliano Sala pode dar um fechamento a tragédia que matou o jogador, que vivia um de seus melhores momentos na carreira. O atleta viajava para o Reino Unido, onde iria atuar no Cardiff depois de uma transição milionário quando, devido a uma pane, o avião em que estava caiu no Canal da Mancha, em 21 de janeiro. Os destroços do avião e os corpos das vítimas ainda permaneceram desaparecidos por dias até que finalmente foram encontrados.

O corpo do jogador foi velado no Ginásio do clube San Martin de Progreso, onde Sala começou a dar seus primeiros passos na profissão. A cidade pacata de apenas 3 mil habitantes recebeu atenção mundial com o funeral do jogador, que teve presentes emissários do Nantes, da França, e do Cardiff, do Reino Unido.

PUBLICIDADE

Na frente do clube, uma bandeira foi afixada com a frase “Emi, você nunca vai andar sozinho”. Daniel Ribero, presidente do San Martin de Progresso, falou da importância da cerimônia em entrevista: “as pessoas podem se reunir em torno de seu caixão, colocar uma carta, um desenho, uma flor. Ele representou muito para nós. Neste povoado, o Emi foi a celebridade, o único jogador de futebol que triunfou para se tornar um profissional”.

PUBLICIDADE

O jogador atuava no Nantes, da França, quando foi contratado pelo Cardiff. Em sua cidade natal, Sala era considerado uma grande celebridade, mas mesmo assim ainda era muito elogiado por todos e considerado um homem humilde. O presidente de Progresso, cidade a 500km ao norte de Buenos Aires, Julio Muller não poupou elogios ao atleta. “Ele representou muito para nós. Era um garoto impecável. Amamos futebol aqui e ele era o único que conseguiu se tornar um jogador profissional, e na Europa. Então ele era admirado por todos”, declarou.

Na França, o Nantes, último clube pelo qual Sala atuou, planeja homenagens ao jogador. Os ex-companheiros de clube devem realizar uma homenagem antes do início da partida e outra aos 9 minutos de jogo, em referência ao número da camisa que Emiliano Sala usava, a 9. Pelo menos um atleta do time teve liberação da comissão técnica para comparecer ao velório do jogador, na Argentina.

Escrito por Carla Lopes Silva

Colunista em sites de notícias e curiosidades. Adoro escrever sobre todo tipo de assunto. Curiosa por natureza, e amante da internet. Contato: [email protected]