Criança de apenas 9 anos tira sua própria vida após contar para seus colegas que é homossexual

O mundo voltou a falar intensamente a respeito do bullying e do suicídio após um pequeno garotinho americano chamado Jamel Myles, de apenas 9 anos de idade, tirar a sua própria vida. Tudo aconteceu na última quinta-feira, dia 23, poucos dias depois de ter dito aos seus coleguinhas da escola, que era homossexual.

Sua mãe, Leia Pierce, disse durante uma entrevista para o jornal Denver Post que a única explicação para o garotinho ter colocado fim em sua vida são as ofensas feitas por seus amiguinhos de classe. Ela afirmou que eles debocharam de Jamel e fizeram comentários horríveis a respeito do filho, as crianças estudam na Escola Fundamental Joe Shoemaker, localizada em Denver, nos Estados Unidos.

Ao Denver Post, Leia contou que a primeira vez que Myles admitiu ser homossexual e gostar de outro homem aconteceu durante as férias de verão, alegou que logo em seguida, ao retorno das aulas, contou a mesma coisa para seus amigos.

PUBLICIDADE

Pierce ressaltou que o filho parecia estar muito assustado quando contou para ela a respeito de seu gosto sexual, inicialmente acreditou que tudo era apenas uma brincadeira, estava dirigindo e então olhou para trás e foi capaz de notar o medo no rosto dele.

Ela afirmou que disse ao garoto que independente de suas escolhas sexuais, iria continuar o amando sempre. Leia explicou que neste momento Jamel se sentiu orgulhoso, todo o desespero foi embora e ele até mesmo disse que iria contar para seus colegas na escola, pois a aprovação de sua mãe era o suficiente.

Porém, o pior aconteceu, se sabe que as aulas na Escola Fundamental Joe Shoemaker começaram em uma segunda-feira, na sexta, quatro dias depois, a criança de apenas 9 anos foi encontrada morta dentro de sua própria casa. A mãe não conseguiu esconder sua tristeza e a dor de ter perdido quem mais amava.

PUBLICIDADE

Se sente pior por saber que o filho se suicidou por causa de outras pessoas, por causa do grande preconceito que existe ainda nos dias atuais. Leia revelou que sua filha mais velha contou que Myles teria comentado que as crianças do fundamental tinham dito para ele se matar, lamentou pelo filho não ter procurado sua ajuda.

PUBLICIDADE