De perseguidor a seguidor: Mulçumano vai a igreja para afrontar cristãos e se arrepende após ouvir que Deus o ama

Roman era perseguidor dos cristãos e sempre os desafiava durante o jejum sagrado.

De acordo com o costume de muitos muçulmanos em jejum, os romanos gostam de provocar e perseguir os cristãos no tempo do Ramadã, para levantar questões e desafiar suas crenças cristãs.

Roman decidiu, no ano passado, expressar sua fé ao Islã de forma mais profunda durante o Mês Santo. Ele planejou participar de cultos de adoração na igreja batista local, para provocar grande caos e lutar contra as crenças “traidoras” dos cristãos.

PUBLICIDADE

Roman relatou que participou de cultos religiosos durante o Ramadã porque se considerava um muçulmano devoto. Ele queria provar sua fé a Alá.

Ele chegou até a igreja, entrou e sentou-se e começou a planejar o que iria fazer. No entanto, quando o culto deu início e o pastor do ministério começou a falar, Roman impedido por uma força maior, não conseguiu se mover do lugar para afrontar os cristãos. Ele ficou profundamente comovido com as palavras do pastor.

PUBLICIDADE

Ele contou que foi a primeira vez que ouviu que existia um Deus que o amava, mesmo ele não sendo perfeito. Roman jamais poderia imaginar que existia um Deus, capaz de amar alguém mesmo em meia as tantas imperfeições.

A mensagem de um Deus que é piedoso e misericordioso, ganhou o perseguidor daquela igreja. O que ele nunca imaginou que poderia acontecer, aconteceu.

Roman caiu em lágrimas, e cheio de alegria se arrependeu de todo mal que havia pensado em fazer naquele dia, e aceitou Jesus Cristo em uma igreja Batista.

 

Escrito por Redatora Cs

Escrevo vários tipos de conteúdo, mas gosto muito de escrever notícias sobre famosos, histórias de superação e testemunhos.