Delegado desabafa sobre material infantil apreendido que revela toda lascívia dos suspeitos: “É doentio, passei mal”

Durante a operação cinco pessoas foram presas por armazenar arquivos que envolveram crianças e adolescentes

Os investigadores da Polícia Civil, já viram e presenciaram muitas coisas, mas diante deste material apreendido em uma operação infância violada 2, eles ficaram chocados com o que foi encontrado.

A Polícia Civil da 3ª delegacia de polícia (Cruzeiro) tem o objetivo de combater a pedofilia na capital federal.

PUBLICIDADE

Durante a operação cinco pessoas foram presas por armazenar arquivos que envolveram crianças e adolescentes, a polícia estava mapiando todo o recurso digital percorrido pelos criminosos que compartilhavam nas redes sociais.

De acordo com o delegado Ricardo Vianna, as fotos e os vídeos foram apreendidos com suspeitos, o delegado desabafou sobre o que encontrou com os suspeitos, disse que é uma coisa doentia, passei mal pelo que encontrei ali, crianças muito novas, ainda na puberdade, é terrível, assustador, concluiu o delegado.

PUBLICIDADE

Os policiais informaram que os pedófilos usavam uma espécie de recurso chamado P2P, para compartilhar essas fotos de crianças e adolescentes, é uma rede de computadores onde eles podem enviar essas fotos.

Essa rede é uma internet que não é convencional, um local onde as pessoas não sabem quem disponibilizou o arquivo e o principal objetivo é transmitir todo tipo de crime, até assassinatos são colocados na rede.

A polícia estava cumprindo 9 mandatos, cinco foram pegos em flagrantes, no meio dessas apreensões estava um oficial militar do exército brasileiro.

Ricardo Vianna relatou que a polícia civil está investigando a quatro meses esse grupo de pedófilos.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.