Depois de concluir o sonho em se formar PM, jovem de 28 anos não resiste ao Covid-19 e morre antes de participar na formatura do curso:”Ele sempre foi muito esforçado”

Um sonho realizado e ao mesmo tempo destruído é o caso do jovem que vamos contar aqui.

No dia 29, foi o dia de um sonho realizado do jovem de 28 anos, Jonathan Felipe concluiu a sua capacitação para entrar na PM como tanto desejou. Mas infelizmente, chegou a pandemia do novo coronavírus e desfez os sonhos do jovem. Ele foi infectado e acabou por não resistir.

O surto da pandemia, na PM iniciou a 19 de maio. Na altura 40 casos, foram confirmados da unidade.  O jovem estava internado no Hospital da cidade para se cuidar da doença. Segundo o comunicado divulgado, ele não tinha quais quer antecedentes de problemas de saúde, mas infelizmente surgiu uma complicação no seu quadro clinico e acabou por falecer na noite de última terça-feira.

PUBLICIDADE

Segundo informações, o Jovem recém formado em PM, nem participou do curso, porque na altura já estaria internado na UTI. Deixa assim a esposam e um filho de nove anos.

Um amigo de farda de Jonathan, de 29 anos confirmou durante uma entrevista que o jovem era uma pessoa querida por todos naquele batalhão. “Conheci o Melo, numa altura básica no curso da escola, éramos da 5°Cia Choque”, conta o soldado Tavares.

PUBLICIDADE

Ele sempre foi uma pessoa que corria atrás dos sonhos, e tinha uma grande determinação, fora do comum. Quando estivemos por lá a gente partilhava as histórias, e quando regressamos a Registro, a nossa amizade ficou ainda mais forte, passamos o último Ano Novo juntos, desde daí ele já era da casa, fazíamos churrasco juntos”, conta.

Ainda segundo o soldado, ele conta que o amigo era um grande exemplo de superação, e sempre dizia para todos, que fazia tudo pelo filho, ele era o seu maior objetivo.

“Já quando terminou o módulo básico, ele já estava em risco de não concluir o curso,não estava a conseguir finalizar as barras fixas então ele passou a esforçar mais para conseguir alcançar o objetivo. Ele treinava em todo o tempo que tinha livre, conta o soldado.

O amigo, diz ainda que Felipe, era uma pessoa que não tinha tristeza, gostava muito de brincar. “Antes de nós terminarmos o curso, eu me cruzei com ele no quartel, ele ia ao médico, e na altura ele já estava muito debilitado, e disse que apenas tinha tido um resfriado, que estava avançando para uma possível pneumonia.

Quando ele passou na pré-consulta, foi de imediato levado para o hospital. No primeiro dia, Tavares lhe tentou contactar por mensagem no grupo do pelotão, mas uns dias mais tarde já foi induzido ao coma”, lamenta.

O velório foi realizado nesta quarta-feira(10), no interior de SP.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!