Depois da mãe ter confessado o crime, e dizer onde estava o corpo do menino de 11 anos, o laudo aponta que a causa da morte de Rafael foi estrangulamento

Depois de ter sido encontrado o corpo do menino Rafael Mateus Winques, o laudo já consta os relatórios da causa da morte.

Nesta última segunda-feira(25), a mãe do pequeno Rafael mostrou às autoridades onde abandonou o cadáver do filho. Em declarações, ela alega que jamais teve a intuição de tirar a vida da criança, que apenas administrou uns medicamentos para que ele ficasse mais calmo, uma vez que estava um pouco exaltado. O laudo saiu na manhã de hoje e foi divulgado.

Segundo o laudo feito ao corpo do menino, no IML, de Carazinho dá por concluído que o menino de 11 anos que tinha sido dado como desaparecido no último dia 11, as causas da morte foram por asfixia mecânica por estrangulamento.

PUBLICIDADE

A informação, foi avançada pelo Instituto-Geral de Perícias. Já em depoimentos, a mãe Alexandra declara a sua versão de fatos, de outra forma, que apenas lhe deu um medicamento para o acalmar.

“Eu apenas lhe dei dois comprimidos de Diazepam, para que ele tomasse e conseguisse dormir com mais tranquilidade, estava muito nervoso. Nessa mesma madrugada, ela conta que acordou e foi ver se a criança estava com vida, ou sem vida.

PUBLICIDADE

Mas como é que ela tinha a certeza que a criança estaria morta, e não apenas sem sentidos? Foi aí que ela pegou no filho, e com a ajuda de um lençol o enrolou e colocou uns fios em algumas partes do corpo, depois foi arrastando, segundo ela, até a casa ao lado de onde vivia, onde o corpo já foi encontrado”, afirma Joerberth Nunes, delegado responsável pelo caso.

Já na manhã desta terça-feira, as autoridades que estão a tomar conta do caso, estão a investigar a motivação, e se mais alguém ajudou a participar do crime. O corpo foi encontrado, depois de a mãe ter confessado onde teria deixado o cadáver do filho.

“Até ao momento, a motivação do crime é um mistério. Até agora, todos os depoimentos que foram recolhidos, nenhum deles indica que tenha acontecido qualquer desavença dessa mãe com esse filho. O que acaba por torna mais estranho, mas certamente a Polícia Civil, irá dar respostas a todas as perguntas”, conta o delegado.

A principal autora da morte do menino Alexandra, foi detida temporariamente, e já está em sistema penitenciário. A Policia Civil, pede que ela vá para prisão preventiva.

Depois de saber que tinha feito com o filho, sabendo que ele já estaria morto, a mãe muito serena e tranquila, chegou a dar uma entrevista pedindo que o filho regressasse a casa, conta a polícia sobre a mãe.

A mãe, foi ouvida várias vezes, e em alguns momentos, começaram a intrigar os investigadores.

“Com as várias declarações, que já possuíamos, nós voltamos de novo ao radar para o comportamento da mãe. Primeiro ponto, pelo estado psíquico da mãe. Desde o primeiro esclarecimento às autoridades, até ao último contato, que ela teve no dia de ontem, estava muito serena e tranquila em relação a todos os fatos”, explica.

Já a chefe de policia, conta que desde o primeiro alerta, já suspeitava que algum familiar teria participado no desaparecimento da criança, caso se tratasse de um homicídio.

“O crime foi cometido pela própria mãe, mas que não se pode, até ao momento afirmar que ela agiu sozinha. Temos que ainda investigar mais fatos do que se passou nessa noite do crime”, relata Nadine.

A equipa de polícia, já se encontra em casa da autora do crime, para procurar o medicamento que ela confessou ter dado ao menino.

“Como é que ela tomou posse de ter esse medicamento em casa? Se esse mesmo medicamento existia dentro de casa, quem é que o administrava? E a mãe, já sabia do efeito desse medicamento, no corpo humano? Tudo isso tem que ser muito bem investigado”, afirma o delegado.

A policia conta, que o caso do Rafael, tem muitas semelhanças com a morte do menino Bernardo Boldrini, morto em 2014.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!