Desabafo emocionante de um vendedor de salgadinhos, que o comprador o humilhou pela demora: “Mas gente, eu sou deficiente físico, e só tenho uma mão”

O morador, sofre de problemas de coração, e teve que abandonar o trabalho de pintura, e para sobreviver na pandemia, passou a vender salgadinhos. A postagem se tornou viral nas redes sociais.

Esta história mexe com os mais sensíveis, e muitos sabem o que é viver no meio de pandemia. O vendedor publicou o seu relato, que deixou os internautas emocionados. O jovem de 32 anos, foi humilhado por um cliente, que não aceitou a mercadoria, apenas porque a entrega demorou um pouco. O caso ocorreu e Marília.

PUBLICIDADE

“Confeccionei os salgados com o maior carinho, e fui até à residencia, aí ele falou que não queria mais, porque demorei um pouco na entrega. Mas gente, eu sou deficiente físico, e só tenho uma mão,e tenho dificuldade em fazer tudo, e agora recebo xingamentos, e ofensas. Sobrou muito salgado. Se alguém quiser”, publicou.

José Rafael Marciano, contou ao G1, que infelizmente não possui a sua mão esquerda,é pintor de profissão, mas devido há pandemia, passou a vender salgados e pães para puder ter um suplemento na renda.

PUBLICIDADE

Ele contou que o cliente em questão, pediu a encomenda por cerca das 9h, para que os salgados, fossem entregues as 11h. Mas entretanto era uma grande quantidade, média de 50, e ele só terminou duas horas depois ás 13h.

“Nesse momento, através do telefone ele me xingou, e falou que eu não era um profissional, que eu era um vagabundo, que eu deveria ter avisado antes. Eu fiquei muito triste e magoado, chorei demais porque sou muito emotivo” recorda o vendedor.

A postagem do jovem se tornou viral pelas redes sociais, deixando os internautas revoltados pela atitude do cliente e emocionados pela história do vendedor. Até esta quinta-feira, a publicação teria ultrapassado a marca de mais de quarenta e duas mil curtidas, e mais de dezassete mil partilhas.

Depois de se ter tornado viral, o vendedor conta que já recebeu diversas encomendas, além de doações, e ofertas de motoboys para ajudar no serviço de entrega.

“Estou muito feliz, porque estou recebendo muita ajuda. Além disso, recebi muitos telefonemas de diversos países, me dando apoio inclusive no campo financeiro. Até famosos partilharam. Estou de coração cheio, completamente anestesiado, nem consegui mais dormir”, admite Rafael.

Rafael é uma história de superação e lutas. O rapaz, contou que além de não ter o seu membro, também nasceu sem as costelas do lado esquerdo, e problemas de coração, que acaba por ficar “desprotegido”. Quando era bebê, ele passou mais de um ano hospitalizado, e recentemente sofreu um infarto.

Os problemas de saúde também foram um incentivo, para ele iniciar as vendas, pois ele era pintor, mas acabou por ser afastado pelo médico de continuar a sua profissão. Desempregado, ele então colocou as mãos na massa e deu inicio aos salgados, que já estava habituado a cozinhar dentro de casa para a esposa e suas filhas.

 

 

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!