Dois dias antes de dar há luz, Justiça continua a manter a decisão no qual o plano não é obrigado a pagar o parto em SP de bebê com meio coração:”Desumano que estão a fazer”

Após liminar que garantia as despesas hospitalares, a mulher esta desesperada, é desumano o que estão fazendo diz.

Gabriella Castro, de trinta anos, está a viver por momentos de puro desespero, devido a uma nova decisão da Justiça de Goiás. Já com o parto há porta, marcado já para esta quinta (4), ela esta a enfrentar uma grande dúvida, de poder dar à luz,numa unidade hospitalar especializada, para o tratamento de doença rara, que a bebê tem, devido a ela só ter meio coração. No qual cabe o recurso da decisão.

Gabriella, emocionada desabafou que é muito desumano, o que estão fazendo com ela. Ela viajou ainda, até à capital paulista no último dia vinte de janeiro, após uma decisão, no qual foi determinado um plano de saúde para que ela custear as despesas do parto e o tratamento da filha, e após o plano ter garantido, que iria pagar todos os procedimentos, que iriam ser realizados na unidade hospitalar.

PUBLICIDADE

Logo após, a gestante ter dado entrada num processo, no qual os médicos aconselharam a procurar essa alternativa, uma vez que Goiás, os casos semelhantes não têm qualquer histórico de um desfecho feliz, segundo os especialistas, que ela procurou.

Já na primeira decisão, cabe ao juiz Thulio Marco Miranda. Mas entretanto, o plano de saúde também deu entrada a um recurso, no qual o pedido foi atendido por uma liminar publicada, no último dia 28, no qual desobrigou a empresa a custear todas as despesas da unidade hospitalar de SP.

PUBLICIDADE

Após a noticia, o defesa de Gabriella, também deu entrada um recurso para tentar garantir o atendimento, à cliente de SP, uma vez que ela já não pode regressar a Goiás, devido à gestação em estado avançado.

O pedido foi negado, pela mesma, e a decisão foi publicada nesta terça (2), onde determina que todo o procedimento deverá ser feito em GO. A gestante conta ainda, que desde que chegaram, ficou com medo de terem que voltar para trás, e esse medo, hoje se concretizou.

Ela diz ainda que não está sabendo lidar. Que tudo chegou sem qualquer motivo. Que para chegar até aqui, e ter passado por tudo isso, depois desse diagnóstico, não vai ter ninguém que a possa ajudar, finaliza.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!