Em cena constrangedora com Weintraub, Bolsonaro anuncia a saída do ministro

Em vídeo divulgado no dia de ontem(18), o ministro anuncia sua saída do governo.

Desde que foi divulgada a reunião ministerial do dia 22 de abril de 2020, a situação do ministro da educação Abraham Weintraub se tornou insustentável.

No vídeo, o ministro fala que deveriam prender todos os vagabundos, a começar pelos ministros do STF. As palavras de Weintraub caíram como uma bomba no cenário político e ele que já carregava em suas costas outras situações embaraçosas, deixou o cargo no dia 18 de junho.

PUBLICIDADE

Não é de hoje que o ministro realiza falas ou escreve coisas polêmicas. Nos 14 meses que ficou à frente o ministério da cultura, Weintraub se opôs aos ensinamentos de Paulo Freire, patrono da educação no Brasil, grande educador e escritor de obras voltadas para a educação reconhecidas no mundo todo, logo mesmo no dia de sua posse.

Muito participativo nas redes sociais, o ministro que é responsável pela educação brasileira, escrevia textos em seu twitter com diversos erros gramaticais, o que demonstra um total desconhecimento das regras gramaticais da língua portuguesa.

PUBLICIDADE

Além de textos com erros de português, o ministro também é acusado de praticar o crime de racismo, quando em outra postagem sua no twitter, se referiu ao povo chinês com as falas do cebolinha, da turma da Mônica, fazendo uma analogia à forma de falar dos chineses e os acusando de se aproveitar da situação da pandemia para crescerem economicamente.

Essa fala, gerou um desgaste nas relações entre Brasil e China, pois a embaixada chinesa no Brasil rapidamente rebateu aos insultos. No dia de ontem(18), em vídeo publicado por Jair Bolsonaro, o ministro se despediu do cargo e deixou o presidente em situação constrangedora ao pedir um abraço de despedida.

 

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.