“Esta porcaria entra em vigor na data da publicação” diz trecho do Diário Oficial

A publicação foi feita pelo ibama através do Ministério do Meio Ambiente, que já identificou o erro e anunciou que vai corrigir. É a primeira vez que a palavra porcaria é publicada no diário, mas erros como "portara" e "portria" podem ser encontrados

Todo mundo já cometeu um errinho ou outro, não é mesmo? Quem nunca fez uma besteira na vida? Mas em algumas situações o preço a pagar por esses “errinhos” é bem caro. Por exemplo, no último dia 14 alguém cometeu uma gafe imensa no Diário Oficial.

Como você deve saber, o Diário Oficial é um espaço onde todas as decisões do governo são publicadas, ou seja, é um portal muito, muito, sério.

PUBLICIDADE

No entanto, isso não impediu que alguém trocasse as bolas e escrevesse “Esta porcaria entra em vigor na data da publicação” no lugar de “esta portaria entra em vigor na data da publicação”. Um simples letra mudou a coisa toda!

A publicação foi feita pelo ibama através do Ministério do Meio Ambiente, que já identificou o erro e anunciou que vai corrigir. É a primeira vez que a palavra porcaria é publicada no diário, mas erros como “portara” e “portria” podem ser encontrados.

PUBLICIDADE

Geralmente, esse tipo de erro apesar de parecerem intencionais são, na verdade, fruto de teclados com letras apagadas e pressa do digitador. Mas isso não diminui a graça e constrangimento da situação.

A publicação em questão foi assinada por Sostenes Florentino da Silva, superintendente substituto, e dizia respeito à nomeação de pregoeiros do Ibama no estado da Bahia.
IBAMA E MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE EM MEIO A TENSÃO

Muitos canais de notícia reproduziram a notícia de que agora o IBAMA não “responde mais por si”. Isto é, depois de “mordaça” imposta pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), as demandas direcionadas ao IBAMA agora deverão ser entregues diretamente ao MMA.

Isto não desmonta a assessoria de comunicação da instituição, mas praticamente tira suas deliberações. A medida é uma das que seguem a exoneração do chefe da comunicação social do Ibama. A determinação também se aplica ao Instituto Chico Mendes (ICMBio).

Ambas as insituições são associadas ao Ministério do Meio Ambiente mas até então sempre possuíram autonomia em sua questão jurídica.

Especialistas acreditam que o Ministério do Meio Ambiente deverá mover ações contra essa autonomia cada vez mais, prevendo a dissolução completa das duas instituições dentro da pasta do governo.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]