Estudante que escapou de massacre em escola tira sua própria vida

Vários bilhetes são deixados durante vigília em homenagem às vítimas de ataque contra escola.

Um aluno que sobreviveu ao terrível massacre na escola onde estudava, não suportou a pressão psicológica e na noite do último sábado, dia 23 de março, desistiu da vida aos 16 anos de idade, para tristeza dos colegas e desespero dos amigos e familiares.

Na semana passada uma outra aluna chamada Sydney Aiello, também tirou a própria vida e isso gerou muita comoção, a direção da escola emitiu nota dizendo que providencias estão sendo tomadas para que os estudantes tenham acompanhamento mais frequente de psicólogos nessa fase pós trauma decorrente do massacre que ocorreu em Fevereiro de 2018.

PUBLICIDADE

Os pais da jovem disseram que a filha estava enfrentando um quadro conhecido cientificamente como síndrome do sobrevivente, que se caracteriza por uma fase de estresse pós-traumático e faz com que a pessoa se sinta culpada por ter sobrevivido a alguma situação de ataque, enquanto seus amigos não sobreviveram.

A instituição de ensino secundária Marjory Stoneman Douglas, localizada em Parkland, Flórida, nos Estados Unidos, foi invadida por um rapaz portando um fuzil AR15 e  vitimou 17 jovens estudantes e funcionários adultos. Os que sobreviveram tiveram que aprender a conviver com a dor e o  trauma da perda dos colegas. Porém esses dois jovens acima citados não resistiu e a fatalidade infelizmente aconteceu.

PUBLICIDADE

É valido dizer que após este massacre, direção da escola com seus alunos iniciaram um movimento contra as armas e depois disso algumas mudanças estão surgindo na legislação.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]