Estudos mostram que o coronavírus pode prejudicar a placenta e o fluxo de sangue para o bebê durante a gestação

Tudo indica que o vírus causa algum problema na placenta.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de NorthWestern em Illinois nos Estados Unidos, apontou que o coronavírus pode prejudicar a placenta, diminuindo ou aumentando o fluxo de sangue para o bebê durante a gestação.

O estudo foi publicado na sexta-feira dia 22 de maio na revista científica americana Clinical patology, a pesquisa foi realizada com 16 mulheres que testaram positivo para coronavírus, o estudo analisou a placenta de todas essas mulheres durante a gestação e após o nascimento do bebê.

PUBLICIDADE

Diante de todos os dados colhidos, os médicos responsáveis pelo estudo perceberam que todos os bebês nasceram saudáveis, mas todas as placentas tiveram problemas com relação ao fluxo de sangue enviado para o bebê.

De acordo com os cientistas, o vírus prejudicou a placenta e o fluxo de sangue foi fora do normal, a placenta de todas gestantes foram prejudicadas, de acordo com os especialistas a gestação foi normal, os bebês nasceram bem, apesar das gestantes estarem diagnosticadas com COVID-19.

PUBLICIDADE

De acordo com o autor do estudo Doutor Jeffrey Goldstein, eles não encontraram uma placenta saudável, todos tiveram problemas decorrentes do vírus.

Tudo indica que o vírus causa algum problema na placenta, de acordo com o doutor Jeffrey, os bebês não estão sendo afetados, mesmo que a placenta esteja com problemas.

Os médicos não encontraram nenhuma causa negativa nos bebês, mas disse que os estudos ainda são limitados e foram realizados com poucas gestantes, mas no futuro acredita-se que vão ter uma ideia ampla sobre a gestação e a covid-19.

Afirmou o Doutor, que toda a gestação deve ser monitorada pelo médico, principalmente se for confirmado positivo para coronavírus.

A doutora Emily Miller assistente de ginecologia e obstetrícia da instituição, disse que o acompanhamento a gestantes com coronavírus deve ser realizado com exames não invasivos, de acordo com a doutora, essa descoberta é preocupante e deve-se discutir a maneira mais adequada de cuidar das Gestantes nesse momento.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.