Ex-preso conta como funcionam as regalias em presídios do RJ “ter celular custa caro”

"Chefes de segurança sabem que acontece e são bem pagos para isso" disse o ex-detento

Nessa segunda-feira (23) o RJ2 entrevistou um ex detento de Gericinó, Bangu e ele contou como eram os dias e como funciona o sistema dentro da cela deixou claro que quem tem dinheiro consegue muitas regalias.

Sem deixar escapar seu nome o homem conta que quem conseguia pagar tinha direito de usar celular e tv a cabo, tudo era a vontade e as encomendas enram feitas e entregues por agentes penitenciários.

PUBLICIDADE

Ele ainda contou que manter uma boa relação com os agentes era de fundamental importância e muitos gastavam alto preço para isso, como ele explicou ter um celular é muito fácil, mas o que você paga para comprar um é muito dinheiro.

O homem ainda disse que tendo o celular você poderia usar quando quisesse, não ficava esperando pelo dia de visita, poderia apenas fazer uma chamada de vídeo e pronto falava com a esposa, com o filho, mãe e quem mais quisesse, além disso, pode-se tirar fotos e fazer vídeos lá dentro sem problema.

PUBLICIDADE

Durante a entrevista surge uma foto de um roteados tirada por um preso que postou dizendo que tem agora  wi-fi, comemorando o fato de poder assistir a Netflix lá de dentro, tudo isso com o aval do chefe de segurança do presídio que recebe dos presos um valor fixo para fingir que não ver quando precisam fiscalizar as celas ou procurar por coisas “escondidas”.

 

 

Escrito por Julia Carolina

Gosto sempre de trazer novidades e curiosidades para manter o publico informado no dia dia, sigo a linha de noticias infantis e voltadas ao publico materno, alem de receitas e remédios caseiros.