Famosos atores da Globo se assumem homossexuais depois dos 60 anos

atores da Globo se assumem homossexuais

Há algum tempo atrás, era quase impossível imaginar atores e atrizes do primeiro escalão global assumindo serem gays ou bissexuais.

Ao longo das décadas, muitos comentários surgiram a respeito da sexualidade de diversos atores, mas só nesta década vários deles têm tido coragem de se expor em público.

PUBLICIDADE

Porém, ainda existem pessoas que acreditam que ser “LGBT” é coisa de gente jovem, confusão ou curiosidade, entre outras coisas.

Mas acontece que há diversos atores mais velhos que assumiram ser gays, lésbicas ou bissexuais e talvez você não sabia disso.

PUBLICIDADE

Principalmente se tratando de atores e atrizes já renomados na Globo e que já tem mais de 60 anos. Miguel Falabella, Maria Zilda Bethlem, Luiz Fernando Guimarães, José de Abreu e Marco Nanini estão nessa lista. Confira:

Casado com o empresário Adriano Medeiros,Luiz Fernando Guimarães relatou que os seus fãs custam a acreditar que ele seja gay. “Ninguém acredita mesmo [que ele seja gay]. Tenho fama de pegador, meus personagens são violentos, nada mudou”, declarou o eterno intérprete de Rui da série Os Normais.

Em 2015, ele comentou pela primeira vez sobre ser homossexual. “A gente é casado, e não mora junto. Nunca falei sobre isso porque não vou levantar bandeirinha.

Acho um saco. Acho que todo mundo sabe da minha opção sexual, nunca ninguém me perguntou sobre isso, não tenho a menor vontade de conversar sobre porque o nome disso é intimidade. Porque vira o assunto principal e tenho tantas outras coisas para serem faladas.”.

Um dos principais comediantes da Rede Globo assumiu ser gay recentemente, em 2015. Mas já estava casado com um homem desde 2004. Fernando tem 69 anos.
Em 2011, Marco Nanini, o eterno Lineu de A Grande Família, série da Globo deu uma entrevista à revista Bravo assumindo sua homossexualidade. Apesar de comentários, a notícia pegou várias pessoas de surpresa.

Na reportagem, o ator relatou que vive sozinho, mas costuma receber alguns namorados em casa. Marco tem setenta anos e tinha sessenta e três quando se assumiu. O ator está se preparando para interpretar um médico gay nos cinemas e estará na próxima novela das nove, A Dona do Pedaço.

Já José de Abreu, de setenta e dois anos de idade, já foi casado com várias mulheres, mas assumiu ser bissexual em 2013.

Ele demostrou ser um homem sem qualquer preconceito. O ator postou mensagens defendendo os homossexuais no seu Twitter: “Eu me relaciono com pessoas, não com rótulos: gay, homo, hétero, sexualidade, sexualismo, opção sexual, tô andando. Se há amor ou tesão, foi.”, declarou o ator.

A polêmica não parou por aí, delicadamente, José de Abreu chegou a alfinetar as religiões, que pregam o amor ao próximo, mas não o exercem. “Acho o suprassumo da caretice dividir o mundo entre gays e não gays. Ninguém me ensinou a amar assim. Aprendi a amar na Igreja”, disse.
Além de exibir o seu lado militante contra o preconceito, o ator abriu o seu coração e revelou: “Em 1989 me apaixonei por uma bi. Ficamos juntos e resolvemos “tentar”. Durou 9 anos nossa relação. Seu último namoro tinha sido uma mulher”.

E para quem pensa que José de Abreu irá se importar com as falas maldosas em cima de suas declarações, o ator se adiantou em dizer: “Sou artista, tenho compromisso apenas com minha arte. Só a ela devo respeito. Às estruturas sociais, não devo”.

Para Miguel Falabella, as coisas foram diferentes, o ator e autor de 62 anos é discreto ao falar da vida íntima, mas falou abertamente sobre sua sexualidade numa entrevista para a revista Serafina em 2013.

“Fui casado a vida inteira. Dou muito beijo na boca. Se não fosse feliz nessa área, não seria o artista que sou. Sempre fui honesto, coerente. Nunca fiz número nem saí posando de outra coisa. Nunca escondi o que eu era para ninguém”, afirmou o artista que disse ainda que perdeu o tesão em atuar para a TV, para qual prefere escrever. Na semana passada, um comentário de Falabela em seu Facebook virou hit e falava justamente sobre a sua privacidade, criticando as pessoas que se expõem na rede social.
O loiro famoso por apresentar por anos o programa global Vídeo Show, que já foi considerado mau com os colegas e hoje é tido como um gênio na produção, criação e direção de grandes espetáculos, especialmente musicais, nos quais se especializou, está em “Alô, Dolly!”, que estréia em Março em São Paulo. A peça musical, que tem roteiro, direção e produção assinados por Falabela, que também atua, tem um casal de lésbicas.

“É a minha maneira de fazer ativismo. Não preciso sair sacudindo bandeira na Parada Gay. Há outras maneiras de dizer às pessoas que isso tudo é uma grande bobagem, que todo mundo morre no final. Então, vamos ser felizes com quem a gente escolhe ser feliz”, filosofou ele.

E por último, Maria Zilda tem estado longe das novelas; nesta década, só atuou em três. Mas a atriz de 67 anos já foi uma das principais estrelas da Globo, protagonizando tramas como Hipertensão e Bebê a Bordo. Maria Zilda assumiu sua bissexualidade em 2013, quando falou abertamente sobre seu casamento com Ana Kalil, que ocorreu em 2008. As duas se separaram em 2017.

“Eu acho que o Brasil é gay. Aliás, acho que o mundo é gay. É verdade, eu viajo muito. Agora, não posso negar que tem essa meia dúzia de preconceituosos. Sim, porque isso [homofobia] é um preconceito, como você não gostar de preto, de judeu, de macumbeiro, de anão”, declarou a artista da TV Globo.

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]