‘Fiz para educa-la’ contou o padrasto que torturou enteada de 13 anos em Santa Catarina

A sentença do homem é de dois anos e quatro meses de reclusão

Um homem morador de Correia Pinto, no Planalto do Serrado foi condenado pela 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC).

O homem está sendo acusado por agressões proferidas à sua enteada de 13 anos de idade. Ele fez uso de materiais como fio elétrico, vassoura de metal e cinta para realizar as agressões.

PUBLICIDADE

A sentença do homem é de dois anos e quatro meses de reclusão, que incialmente será em regime aberto. Ele foi julgado no último dia 16. As informações foram concedidas pelo Tribunal da Justiça.

Consta no processo que a jovem sofreu diversas agressões, entre elas equimose na região dos olhos, contusão com edema na orelha, contusão com escoriações e edema nas costas, mamas, lombar, coxas, glúteos, braços e pernas.

PUBLICIDADE

Devido a intensidade das agressões, o cabo de vassoura usado para elas acabou de partindo.
Em seu depoimento o homem revelou que acredita que pode ter exagerado de alguma forma, mas que cometeu os atos de agressão com o intuito de educar a jovem.

Detalhes do relatório do caso revelam que o homem levantou a jovem e deu tapas em seu rosto.

O homem estava indo para o culto com a sua esposa, e precisou retornar à casa para buscar algo que havia esquecido. Ao chegar em casa, ele se deparou com a jovem acompanhada de um rapaz.

O rapaz conseguiu escapar, mas a jovem sofreu as agressões. Logo após os atos, o homem que é considerado bastante religioso, se encaminhou novamente para o culto que estava indo.

A respeito dos machucados deixados pelo homem na jovem, a conselheira tutelar afirma que nunca tinha visto algo tão grave, os machucados iam da ponta do pé da garota, até sua orelha.
Sobre a relação entre a família, a mãe disse que até o momento das agressões eles sempre viveram de forma pacifica na casa.

A defesa tentou que o homem fosse enquadrado por crimes com penas mais duras mas o pedido foi negado visto que segundo o desembargador responsável não se enquadrava nos fatos necessários.

Qual sua opinião a respeito desse assunto? Lembre-se de contribuir com o seu comentário.

Pois ele é de muita importância para toda a nossa equipe e sempre ajuda no debate de temas importantes para a nossa comunidade.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]