Governo antecipa 13º, reforça Bolsa Família e dá 3 meses para depósito de FGTS

O dinheiro é algo que move o mundo atual e na falta dele as coisas param. Devido a atual situação envolvendo a pandemia do novo corona vírus, muitas pessoas estão preocupadas com a situação financeira global e principalmente com a suas finanças individuais.

O dinheiro é algo que move o mundo atual e na falta dele as coisas param. Devido a atual situação envolvendo a pandemia do novo corona vírus, muitas pessoas estão preocupadas com a situação financeira global e principalmente com a suas finanças individuais.

 

Na ultima segunda, dia 15 de março, o ministro da economia, Paulo Guedes, anunciou varias medidas que visam diminuir o impacto econômico, que as medidas de segurança por conta da proliferação do Condiv-19 irão causar e para também ajudar muitos brasileiros que terão a vida financeira diretamente afetada.

PUBLICIDADE

 

Entre essas medidas esta o adiantamento do 13° salário, uma medida que pode fazer muitos alegres. O governo irá fazer uma injeção de 147.3 bilhões de reais para ajudar grupos que estarão vulneráveis durante a crise.

 

Todo o dinheiro investido será usado para auxiliar idosos e as pessoas em condições de vida mais pobres, que poderão ter uma garantia do mínimo sustento no cenário atual, também será medidas para evitar um grande aumento no desemprego que pode acontecer por parte das empresas em uma tentativa de se precaver da crise.

PUBLICIDADE

 

O 13° que os aposentados e pensionistas costumam receber em duas parcelas, nos meses de agosto e dezembro, quando são pagos pelo INSS, será adiantado em duas parcelas para os próximos meses de abril e maio.

 

Para a população que vive em situação de pobreza e muitas vezes dependem do bolsa família o governo irá fazer abonos e também liberar novas adesões ao programa para beneficiar trabalhadores informais que não tenha outro sustento.

 

Uma injeção de 3 bilhões de reais será investida no programa do bolsa família por conta da crise envolvendo o novo corona vírus.

 

Será permitido para as empresas adiar num período de 3 meses o pagamento do simples nacional e também fazer adiamento do deposito do FGTS dos seus colaboradores mesmo período de tempo de 3 meses.

Escrito por Lucas Alves

Colunista dedicado e focado a escrever artigos de qualidade sobre Noticias, TV, Famosos e demais assuntos.