Governo volta atrás e diz que não tem dinheiro para pagar parcelas do auxílio

Governo diz não ter dinheiro pra pagar todas as parcelas

Algumas medidas foram tomadas para auxiliar aqueles brasileiros que tiveram suas rendas comprometidas pelo atual Covid-19.

No Brasil, o governo se propôs a disponibilizar para trabalhadores informais, um auxílio emergencial dividido em três parcelas, aqueles que se encaixam nos requisitos da Caixa Econômica Federal seriam beneficiados com parcelas de R$600,00 reais.

PUBLICIDADE

Grande parte da população brasileira já recebeu sua primeira parcela.

A Caixa Econômica Federal, veio a anunciar que o governo iria antecipar segunda parcela do auxílio, que iria começar a ser paga a partir do dia 23 de abril, quinta feira. Mas, no fim da tarde de quarta-feira, governo veio a divulgar que não poderia antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial.

PUBLICIDADE

O motivo de não continuarem com a antecipação do pagamento da segunda parcela do auxílio, seria porque ainda há um grande número de brasileiros que ainda não receberam a primeira parcela do benefício ainda.

O Ministério da Cidadania veio a falar em nota que pelo alto número de requerentes que estão em análise ainda, estariam impedidos de fazer a antecipação da senga parte.

O Ministério não informou nenhuma outra possível data para a população receber a segunda parte da parcela e afirma que governo avaliaria a situação o mais rápido possível.

Conforme a Caixa Econômica Federal, desde o início da disponibilização até o atual momento foram disponibilizados 22 bilhões para cerca de 31,3 bilhões de brasileiros.

Porém, e notório, que algumas pessoas, mesmo afirmando que se enquadram nos requisitos para receber o auxílio se deparam com a mensagem “situação em analise”.

A mensagem significa que as informações cadastradas ainda estariam sendo analisadas e conferidas pelo governo, antes de aprovar o auxílio. Não basta só se cadastrar, que irá receber, o beneficiário terá que se enquadrar nos critérios.

 

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.

Governo volta atrás e diz que não tem dinheiro para pagar parcelas do auxílio

Por falhas no aplicativo e falta de pagamentos, o Governo decide esperar todos receberem a primeira parcela

Algumas medidas foram tomadas para auxiliar aqueles brasileiros que tiveram suas rendas comprometidas pelo atual Covid-19.

No Brasil, o governo se propôs a disponibilizar para trabalhadores informais, um auxílio emergencial dividido em três parcelas, aqueles que se encaixam nos requisitos da Caixa Econômica Federal seriam beneficiados com parcelas de R$600,00 reais.

PUBLICIDADE

Grande parte da população brasileira já recebeu sua primeira parcela.

A Caixa Econômica Federal, veio a anunciar que o governo iria antecipar segunda parcela do auxílio, que iria começar a ser paga a partir do dia 23 de abril, quinta feira. Mas, no fim da tarde de quarta-feira, governo veio a divulgar que não poderia antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial.

PUBLICIDADE

O motivo de não continuarem com a antecipação do pagamento da segunda parcela do auxílio, seria porque ainda há um grande número de brasileiros que ainda não receberam a primeira parcela do benefício ainda.

O Ministério da Cidadania veio a falar em nota que pelo alto número de requerentes que estão em análise ainda, estariam impedidos de fazer a antecipação da senga parte.

O Ministério não informou nenhuma outra possível data para a população receber a segunda parte da parcela e afirma que governo avaliaria a situação o mais rápido possível.

Conforme a Caixa Econômica Federal, desde o início da disponibilização até o atual momento foram disponibilizados 22 bilhões para cerca de 31,3 bilhões de brasileiros.

Porém, e notório, que algumas pessoas, mesmo afirmando que se enquadram nos requisitos para receber o auxílio se deparam com a mensagem “situação em analise”.

A mensagem significa que as informações cadastradas ainda estariam sendo analisadas e conferidas pelo governo, antes de aprovar o auxílio. Não basta só se cadastrar, que irá receber, o beneficiário terá que se enquadrar nos critérios.

 

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.