Grávida de 7 meses morre quatro dias depois de aguardar por uma vaga na UTI em MT, bebê também não resistiu:”Fizemos de tudo”, diz médica

Mikaely Karoline, de vinte anos, esteve internada numa UPA.

Neste último sábado (3), uma gestante de sete meses, morreu na decorrência do coronavírus, depois de permanecer durante quatro dias à espera de um leito na UTI em Sinop, MT.

Uma médica que fez parte do atendimento de Mikaely, confirmou que os profissionais fizeram o possível para salvar a jovem. Também não foi possível salvar o bebê.

PUBLICIDADE

O pedido para a vaga de UTI, foi realizado com grande emergência para uma unidade hospitalar, mas não existia vagas. A secretaria da unidade de saúde, do município, ainda tentou encontrar uma vaga em outras unidades, incluindo fora do estão, mas sem sucesso.

Uma médica, no qual preferiu não ser identificada, confirmou o quanto era necessária, a UTI para a a gestante como a neonatal para o bebê, no qual não havia qualquer vaga para nenhuma delas.

PUBLICIDADE

A profissional, lamentou que houve uma vaga. Mas a jovem começou a ter o seu estado de saúde destabilizado. No qual ficaram de olho nela, durante duas horas, mas já não tinham mais condições, nem coragem de pedir para tentar a salvar. Ela disse ainda, que a equipe fez de tudo.

De acordo com as informações, o UPA onde a gestante estava não tinha qualquer estrutura necessária nem para ela nem para o bebê.

A médica, conta ainda, que maioria das vezes, a família faz pressão, e diz que o paciente, é o amor da sua vida. Onde ela ressalta que os profissionais não deixa, pelo motivo que eles também não vêm a família deles, diariamente.

Ela destaca ainda, enquanto eles têm um, eles têm , trinta, quarenta, cinquenta pacientes, como um todo. Continuando, ela disse que a crise do último ano, não se compara com o que se vive atualmente, finaliza.

 

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!