Homem se passa por filho de 12 anos, marca encontro com suspeito de assediar o menino e faz justiça com as próprias mãos

O suspeito foi levado para a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) onde prestou depoimento. No celular do homem, foram encontradas imagens pornográficas envolvendo menores de idade.

A polícia militar do Ceará confirma que um homem, acompanhado de vizinhos e amigos, espancou o suspeito de assediar seu filho, um menino de 12 anos. O suspeito entrou em contato com o adolescente através de um aplicativo de mensagens, mas o garoto estranhou a conversa e mostrou para o pai.

Perplexo, o homem se passou pelo filho e marcou um encontro com o suspeito. Para sua surpresa, ao chegar no local, ele descobriu que se tratava de um militar da reserva. Com a ajuda de populares, o homem espancou o suspeito de assediar seu filho, o militar tem 55 anos.

PUBLICIDADE

O suspeito foi levado para a  Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) onde prestou depoimento. No celular do homem, foram encontradas imagens pornográficas envolvendo menores de idade.

A polícia espera um mandato para entrar na casa do homem e fazer uma busca por outros materiais, mas o homem já vai responder por armazenar material pornográfico envolvendo crianças ou adolescentes.
Segundo explica a polícia, como o encontro foi marcado pelo pai do adolescente se fazendo passar por ele, o homem não poderá ser enquadrado por aliciamento e assédio.

PUBLICIDADE

Na conversa que manteve com o pai do menino, o suspeito chegou a enviar fotos de relações sexuais com menores de idade para convencer o garoto a enviar fotos de suas partes íntimas.

Ele pedia a todo momento que o garoto enviasse fotos e vídeos de suas partes íntimas. Do outro lado, o pai do garoto planejava o encontro.

O pai do menino não teve dificuldade para marcar o encontro, o homem combinou de receber o adolescente em sua própria casa, mas não sabia que quem apareceria era o pai do garoto.

O pai do menino foi acompanhado de vizinhos e amigos, que foram alertados sobre o caso. Para a polícia, o suspeito foi alvo de uma tentativa de linchamento.

Embora seja uma situação delicada, a polícia sempre orienta a não se envolver pessoalmente nos casos e entregar a denuncia na delegacia mais própria, ou nesse caso, a mais apropriada para lidar com a denúncia seria a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]