“Imagino o desespero dela no carro”, relata amiga da psicóloga que morreu em colisão, polícia investiga se tratava-se de uma disputa de racha

Polícia está a investigar se motorista, que já foi liberado após pagar fiança, disputava racha na avenida.

Um acidente na madrugada deste sábado (1°), no centro de Assis (SP), tirou a vida a amiga da psicóloga Flávia Camoleze, contou ao G1, durante uma entrevista que o rapaz que estava ao volante do veículo, foi detido por sinais de embriaguez ao volante. Não era amigo da vítima.

PUBLICIDADE

A amiga da vítima, Thaís Cristina Zanirato disse que no dia que ocorreu o acidente, a psicóloga tinha se deslocado a um bar juntamente com amigos. Como ela dividia apartamento com ela, que foi embora mais cedo, e Maria Flávia decidiu regressar a casa de carona com um conhecido.

Ela disse ainda, que o que sabe é isso, que ela tinha pegado uma carona, mas que ele não era amigo dela. No qual não pertencia ao círculo de amizades de ambas. De acordo com a polícia, a jovem de vinte e seis anos, se encontrava no banco de passageiros do veículo, que seguia em alta velocidade, e colidiu com um prédio comercial, pro aproximadamente pelas duas horas e meia na Travessa Sorocabana.

PUBLICIDADE

O momento foi flagrado com as câmeras de segurança, e a Polícia Civil investiga se o condutor do veículo, um dentista de vinte e quatro anos, disputava uma racha na avenida.

No vídeo realizado pelas câmeras de segurança, (vídeo indisponível), segundo o que se sabe é que era possível escutar o barulho dos carros acelerando, frenagem e derrapagem (som de pneu cantando), antes da colisão, no que poderá indicar que os motoristas participavam de um racha.

Segundos antes da colisão, o carro onde a vítima seguia ultrapassou um outro veículo pela direita em alta velocidade. No qual o carro colidiu com uma grande violência no prédio comercial, e logo após outro carro sai do local em alta velocidade.

O delegado afirmou serem apuradas as demais circunstâncias do ocorrido, para tentar confirmar ou não se as informações correspondem a uma racha na avenida.

A amiga ressaltou ainda, que “Ela jamais entraria nesse carro, ao saber que era para ir tirar uma racha. No qual ela disse ainda que não consegue imaginar o desespero dela no interior desse veículo.

Thaís confirmou, que não reconheceu quem estava no outro veículo, que surge no vídeo. Que para ela, a amiga não aceitaria carona com o dentista se soubesse de imprudência.

Thaís conta ainda, que pelo que conhece da Maria, que jamais ela iria compactuar com isso. Ela ressaltou ainda, que ela era muito inocente no que se referia a amizades, que ela fazia amizade facilmente, criava confiança muito fácil, mas jamais acredita que ela tenha compactuado com essa situação, conclui.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!