Investigação aponta que assassinos premeditaram ataque na escola por mais de um ano

Após a matança, os assassinos, que eram ex-alunos da escola, se mataram.

As investigações da polícia apontaram que os assassinos que mataram oito pessoas na quarta-feira (13), em Suzano (SP), haviam planejado o ataque por um mais de um ano. Onze pessoas ficaram feridas no ataque, uma delas está em estado grave.

A polícia acredita que a intenção de Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, 25 era matar mais pessoas do que as 13 vítimas do massacre de Columbine, que aconteceu em 1999 nos Estados Unidos, crime que completará 20 anos no mês de abril.

PUBLICIDADE

A polícia de Suzano ainda tenta esclarecer os motivos que levaram Guilherme e Luiz a atacar a escola armados e saírem atirando e golpeando com machado alunos e funcionários da escola.

PUBLICIDADE

As buscas na internet feita pelos assassinos mostraram que o crime pode ter sido premeditado a mais de um ano, eles pesquisaram informações sobre outros atentados que aconteceram em outras escolas nos Estados Unidos.
Um dos que chamavam atenção deles era o de Columbine, em que Eric Harris, de 18, e Dylan Klebold, 17, mataram a tiros 12 colegas e uma professora antes de se suicidarem na escola.

Postagens feitas pelos dois assassinos em um fórum chamado Dogolachan na Deep Web levanta as suspeitas de que os dois participavam desse fórum extremista onde é incitado crimes, ódio e preconceito.

“Muito obrigado pelos conselhos e orientações… esperamos não cometer esse ato em vão”, teria escrito um dos assassinos dois dias antes do massacre em Suzano.

Um dos amigos dos atiradores prestou depoimento e contou que sabia da intenção dos dois, mas eles falavam do ataque como se fosse outra pessoas que quisesse realizar o ato. Até os computadores da Lan House foram apreendidos.

Além das armas, do machado e da besta que foram encontrados, as fotos da tragédia na escola também mostram um outro tipo de objeto caído ao chão. São os chamados jet loaders. Foram usados pelo menos quatro desses. São dispositivos pequenos, feito de plástico, com cinco furos onde a munição é encaixada. De acordo com os policiais, os assassinos usaram esse equipamento para carregar o revólver em menos tempo para tentar matar o maior número de vítimas.

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]