Irmã da mulher que foi encontrada enterrada no contrapiso de casa com a filha, disse o suspeito a “pegou” num estado muito sensível: “Ela não conseguia ver o que ele fazia de errado”

Suspeito continua por parte incerta o crime foi macabro, no qual envolveu a participação de uma filha menor.

Quezia disse que a vítima gostava de ser feliz, mas no fim só sofreu. Desaparecidas há aproximadamente três meses, foram encontradas enterradas num contrapiso da casa onde moravam. Segundo as informações das autoridades o principal suspeito do duplo homicídio, é o marido da vítima, Fabrício Buim Arena, e padrasto de Karoline. Até à manhã deste sábado (6), ele continua por parte incerta.

Segundo a irmã da vítima, as duas se mantinham próximas, mas desde o dia que Cristiane se casou com o suspeito, aproximadamente cinco anos, ela se afastou muito da família. Ela conta ainda, que Fabrício tinha cortado contato com a família há cinco anos.

PUBLICIDADE

Que elas eram muito grudadas, porque apenas eram só as duas, depois se afastou. Disse ainda, que já tinham reparado, que era ele porque várias pessoas, que tinham contato com e, disseram que ele também afastou a ex-mulher da família.

Ainda segundo Quezia, Cristiane não parecia querer ver o que o marido estava a fazer errado, uma vez que os dois casaram um momento em que a vítima estava mais frágil, após a morte da mãe.

PUBLICIDADE

Ela conta que ambas perderam a mãe, e que aí surgiu o casamento dela na mesma altura e deu zebra, porque o marido a tinha traído, e depois ele a pegou, ela numa altura que ela estava muito sensível.

Ela diz ainda que acredita, que como Fabrício é psicólogo, ele usou a tragédia possível para manipular a vítima, e fazer com que ela pensa-se que ele era um bom marido. Ela pensava que ele era perfeito, mas isso custou-lhe a vida, lamenta.

 

 

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!