Jovem de 28 anos que teve coronavírus relata sequela: “Síndrome da fadiga crônica, depois de 12 semanas ainda me sinto se forças”

Está sendo comum as consequências do vírus nos pacientes que sobrevivem ao coronavírus.

Segundo uma entrevista realizada com os pacientes que se recuperaram da covid-19, o vírus traz sequelas, é um período muito lento a recuperação para pacientes que tiveram a covid-19, durante várias semanas mostram sintomas no corpo.

callum O “dwyer um escocês de 28 anos contou que 12 semanas após os primeiros sintomas da covid-19, segue passando mal de acordo com o Callum, antes de ser infectado pelo coronavírus ele tinha plena saúde, não sentia nenhum mal, nem cansaço, não tinha nenhuma doença pré-existente, mas depois que contraiu a covid-19, passou cinco semanas com os sintomas da doença.

PUBLICIDADE

A partir de então, ele não teve mais condições de morar sozinho, precisou voltar para casa dos pais, a sua recuperação demorou muito além do que imaginava, os sintomas permaneceram, as dores a falta de ar, falta de apetite permaneceu por muito tempo após ser diagnosticado com coronavírus.

Com todos esses sintomas não podia morar sozinho e nem mesmo trabalhar, segundo os médicos esse sintoma é fadiga crônica, também conhecida como encefalomielite miálgica.

PUBLICIDADE

Está sendo comum as consequências do vírus nos pacientes que sobrevivem ao coronavírus, permanecem tendo os mesmos sintomas por um período longo, de acordo com os médicos essa Síndrome da Fadiga Crônica, debilita o paciente e com o passar dos dias ele sente vários sintomas e um deles é a fadiga.

O esgotamento faz com que a pessoa precise estar de repouso, é impossível voltar ao trabalho ou cuidar dos afazeres de casa, outro sintoma comum é a dor, a falta de memória e a falta de sono, ainda não se sabe a causa de todas essas consequências que provém da infecção viral, mas segundo o serviço de saúde a síndrome afeta a saúde emocional e mental dos pacientes.

Ainda não existe um tratamento específico que combata a doença, mas a cada dia está fazendo parte dos pacientes recuperados, de acordo com o jovem ele sempre ficava na cama de 6 a 8 horas por dia, disse que tem apenas 28 anos e disputava corrida mas agora não consegue nem levantar para beber água, uma garrafa fica do lado da cama.

O cansaço é tão grande que ele não consegue nem conversar com as pessoas, o jovem disse que quando as pessoas falam sobre a covid-19, falam sobre a vida ou a morte, mas nunca tratam sobre as consequências da doença, é uma doença nova e sabemos muito pouco sobre ela.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.