Jovem morre após ter parasitas descobertos em seu cérebro

Ele se apresentou ao hospital com convulsões e dores na virilha. De acordo com médicos, doença chamada neurocisticercose é causada quando ovos de parasitas são engolidos pela pessoa.

Um jovem de 18 anos faleceu após ter parasitas em seu cérebro, de acordo com um estudo de caso postado no “New England Journal of Medicine”.

Os médicos do ESIC Medical College e Hospital de Faridabad relataram que o paciente, que foi aprentado no pronto-socorro com inchaço no olho direito, estava tendo convulsões tônico-clônicas, que causam músculos endurecidos e perda de consciência.

PUBLICIDADE

Seus pais disseram que seu filho sentiu dor na virilha direita por uma semana. Um exame físico mostrou que ele tinha confusão mental e sensibilidade no testículo direito.

O diagnóstico foi neurocisticercose, uma doença parasitária do cérebro ocasionada quando alguém engole ovos de tênia que passaram nas fezes de alguém que tem uma tênia intestinal. As larvas rastejam para fora dos ovos e para os tecidos musculares e cerebrais, onde formam cistos.

PUBLICIDADE

O problema só foi encontrado depois que a equipe médica efetuou uma ressonância magnética e viu danos causados ​​por cistos em seu córtex cerebral, bem como no tronco cerebral, incluindo o cerebelo, que fica na parte de trás do cérebro, acima da medula espinhal.

Os médicos também perceberam cistos no olho direito e no testículo direito do paciente.

Por causa do número e localização dos cistos, seus médicos resolveram não tratar o jovem com medicamentos antiparasitários.

Estes podem piorar o sangramento cerebral e inflamação, levando à perda de visão. Em vez disso, o paciente recebeu um medicamento anti-inflamatório, chamado dexametasona, além de medicamentos antiepilépticos.
Duas semanas após sua chegada ao pronto-socorro, o paciente morreu.

   A doença

As infecções por cisticercose acontecem em todo o mundo, embora essas invasões parasíticas do corpo humano aconteçam principalmente em áreas rurais de países em desenvolvimento, onde os porcos são autorizados e onde as práticas de saneamento são precárias.

Apesar dessas infecções serem raras entre pessoas que vivem em países onde os porcos não têm contato com fezes humanas, a cisticercose pode ser obtida em qualquer parte do mundo.

Os sintomas dependem da localização dos cistos. Às vezes, nódulos se formam sob a pele e, às vezes, a confusão mental é o único sinal do dano que ocorre no cérebro.

Os sintomas podem surgir meses ou até anos após uma infecção, geralmente quando os cistos começam a morrer, causando o inchaço do tecido.

Geralmente, essas infecções requerem medicamentos antiparasitários combinados com medicamentos anti-inflamatórios, porém a cirurgia pode ser necessária se o paciente não responder ou para reduzir o inchaço cerebral.

Os sintomas podem requerer cuidados, mesmo que a própria infecção paralítica não precise mais de atenção ou tratamento.

Pacientes com cisticercose não podem disseminar sua doença para outras pessoas. Somente pessoas com uma infecção por tênia no intestino podem proliferar os ovos possivelmente fatais, quando a higiene adequada é escasso ou ignorada.

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]