Justiça condena governo de SP a pagar indenização de R$ 50 mil por danos morais a travesti Laura Vermont

Juiz entendeu que estado foi omisso no caso Laura Vermont. Ela tinha 18 anos e morreu após ser espancada por rapazes na Zona Leste de São Paulo. Antes da morte, policiais a agrediram e atiraram nela. Defensoria Pública e pais da vítima vão recorrer da decisão por não concordarem com valor. Eles pediam R$ 4,4 milhões.

A justiça de São Paulo decretou que o governo estadual pagasse uma indenização de r$ 50.000 por danos morais aos pais da travesti Laura Vermont.

Em 2015 Laura tinha 18 anos quando um grupo de rapazes assassinou a travesti, ela foi espancada e morta após uma discussão na zona leste da capital.

PUBLICIDADE

Os agressores são Réus no homicídio contra a vítima todos estão livres respondendo pelo crime e até o momento não há nenhuma data para acontecer o julgamento.

O juiz kenichi koyama da 11ª vara da Fazenda Pública considerou que o estado foi omisso diante da morte de Laura.

PUBLICIDADE

Os policiais foram negligentes e ainda mentiram eles não participaram do assassinato mas foram negligentes e posteriormente esconderam o que aconteceu.

Os policiais que atenderam a ocorrência permitiu que Laura entrasse na viatura dirigindo até bater em um muro, nesse momento eles deixaram de socorrê-la e logo em seguida eles fantasiaram na delegacia e omitiram o que aconteceu e mentiram a respeito do caso.

Confrontados com todos os laudos da Polícia Civil eles contaram a verdade, diante de toda essa omissão e negligência, o juiz decretou que o estado indenize os pais da travesti e pague a quantia de r$ 50.000.

Segundo o juiz é indiscutível que houve omissão e negligência por parte dos policiais e houve um disparo desnecessário de arma de fogo e não atendeu a vítima quando necessitava.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.