Letra da música Maria Chiquinha está sendo considerada feminicídio e necrofilia.

Musica está sendo considerada obscura contendo crimes e começa a ser questionada, logo após dupla Sandy e Junior confirmar volta.

A música foi escrita pelo sobrinho da Chiquinha Gonzaga (Jeysa Bôscoli) no ano de 1961 foi gravada pela primeira vez em parceria com o irmão do João Baptista Figueiredo (Guilherme Figueiredo).

Provavelmente você já ouviu sendo cantada pela voz de Sandy e Junior, onde virou um dos grandes sucessos da dupla, ainda que eles só tivessem 6 anos de idade, quando cantaram pela primeira vez, tudo se deu ao fato de que a música conta a história de uma homem que corta a cabeça da mulher e planeja fazer algo com o restante do corpo?

PUBLICIDADE

A parte que diz que Genaro irá corta a cabeça de Maria Chiquinha e considerada como feminicidio (é quando uma mulher é morta por um homem que tem ódio dela), já a parte onde Genaro fala “Pode deixar que eu aproveito” é considerada como necrofilia (quando um cadáver é abusado sexualmente por uma pessoa).

Confira trechos da Música abaixo.

PUBLICIDADE

“O que que você foi fazer no mato, Maria Chiquinha?

O que foi fazer no mato?

Eu precisava cortar lenha, Genaro, meu bem

Eu precisava cortar lenha

Quem é que tava lá com você, Maria Chiquinha?

Quem é que tava lá com você?”

“Então eu vou te cortar a cabeça, Maria Chiquinha

Então eu vou te cortar a cabeça

Que você vai fazer com o resto, Genaro, meu bem?

Que você vai fazer com o resto?

O resto? Pode deixar que eu aproveito.”
Isso tudo se deu logo após a dupla anunciar que iram voltar aos palcos juntos, em comemoração dos 30 anos de carreira.

Tire suas próprias conclusões, a discussão sobre a música se repercutiu nos últimos dias de uma maneira muito grande, e levantou algumas perguntas, porque depois de tantos anos a música vem sendo contestada? Será porque não foi tirada do ar a mais tempo? Enfim a análise não passa de teorias criadas por internautas, mas vale lembrar também que no passado, ninguém parava para analisar as letras.

Muitos dizem que pela dupla ser crianças na época, não se deram conta do que estavam cantando, até porque não deveriam nem saber do que se tratava na verdade.

Outros dizem que muitas musicas antigas estarão enquadrados em crimes atuais, como uma das canções mais cantadas, inclusive nas escola, “atirei o pau no gato, mas o gato não morreu” considerado crime ambiental por matar ou tentar matar um animal.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]