Mãe briga na Justiça para conseguir os insumos hospitalares, pela bebê em estado grave na UTI que nasceu com erro de metabolismo, após um dos trigêmeos não ter resistido

Família luta contra o tempo para cuidar da bebê de seis meses em casa, após um dos trigêmeos ter falecido com uma infecção generalizada.

Duas crianças gêmeas, nasceram com um erro no metabolismo, e fizeram campanha na web, em luta de tratamento, onde continua uma vaquinha virtual, depois de um dos gêmeos ter morrido.

A morte do bebê José Rafael, ocorreu neste domingo (26), em Itapuí (SP).

PUBLICIDADE

Segundo a divulgação feita pela mãe, o menino teve uma infeção generalizada, mas “lutou até ao fim”.

A mãe da menina, Talita Cavalari, entrou na justiça para obter os insumos hospitalares para continuar a realizar o tratamento da filha Sarah em casa. A bebê de seis meses, está em estado grave na UTI da unidade hospitalar das Clínicas de Botucatu.

Talita, teve três filhos, um eles Rebeca, foi a única que nasceu saudável. Já os outros dois bebês, Sarah e Rafael, tiveram que ser internados, após terem dificuldades em mamar, e perderam muito peso.

PUBLICIDADE

Em conversa com o G1, a mãe divulgou que eles estavam a apresentar convulsões, e já teriam realizado várias cirurgias, entre elas, a gastrostomia e traqueostomia, para que dessa forma os nutrientes chegassem até eles para poderem respirar.

Da parte dos médicos, ainda não foi decretado nenhum diagnóstico completo, apenas o que se sabe, é que ambos sofrem de epilepsia infantil e um erro inato de metabolismo. A mãe conta que com os insumos hospitalares, é possível continuar o tratamento em casa, sem qualquer risco de infecção na unidade.

“A bebê, continua internada em estado grave, segundo as informações da mãe, Sarah não respira sozinha. E na parte da respiração, é onde ela tinha maior dificuldade. Já José, mesmo com o coração mais fraco, continuava a respirar forte. O que pode salvar Sarah e o BIPAP, de assistência hemocare”, explica a mãe.

O aparelho que pode salvar a vida da bebê, custa em torno vinte sete mil reais, e por isso os pais não cruzaram os bracos, após fazerem uma campanha na web, para comprar o equipamento que ajuda a bebê a respirar, além dos materiais estéreis, aspiradores, material para alimentação, além de ajuda especializada entre outros.


Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!