Mãe de adolescente morta por duas jovens se desespera com o que vê no IML: ‘Foi crueldade’

Adolescente foi morta por duas adolescentes, e mãe se surpreende ao ver o corpo da jovem.

Na manhã desta terça-feira dia (25) uma adolescente chamada de Raíssa Sotero Rezende, de apenas 14 anos, foi vítima de um cruel crime que aconteceu na cidade aonde ela morava, região do Grande Recife, uma cidade que se localizada em Pernambuco Recife.

A jovem foi torturada por duas ”colegas”, não exatamente colegas pois nenhum colega faria isso, ela foi torturada na Praia de Maria Faria, além de cometer o cruel crime as agressoras ainda filmaram a tortura.

PUBLICIDADE

O crime foi filmado por uma delas, algumas imagens e o vídeo foram divulgados nas redes sociais, gostaríamos de saber o porque elas fizeram isso, além de agredir ainda divulgaram tudo que aconteceu nas redes sociais, com qual objetivo, envergonhar a vitima?

A jovem Raíssa, recebeu vários golpes na nuca e muitas facadas, e uma das agressoras ainda tentou afogar a adolescente, elas estavam tão dispostas que queriam mesmo acabar com a vida dela.

PUBLICIDADE

Tanto a Raíssa quanto as duas meninas que agrediram ela, tem quase a mesma idade. Raíssa tinha se relacionado com uma delas, e a polícia acha que esse foi um dos motivos para que o crime viesse acontecer, por conta de ciúmes.As duas agressoras, respondem por outros crimes praticados antes, uma já teria sido presa por roubo, e a outra é suspeita, e responde por tentativa de homicídio, por isso tanta frieza ao cometer outro crime e ainda divulgar nas redes sociais.

O pai da vítima, não quis se identificar, disse que não aceitava o namoro com a filha, e afirmou que ela já estava namorando com outra pessoa, um menino, mais ainda era perseguida pela ex-namorada. O que revela que ela não aceitava o término e com isso levou ela a cometer o crime.

Gerlane Sotero, a mãe da jovem, foi com o marido, ao (IML) Instituto Médico Legal, para retirar o corpo da menina. Muito abalada ela necessitou de atendimentos médicos, e teve que deixar o local de cadeira de rodas, pois não aguentou ver a filha naquele estado.

Ela ainda desabafou dizendo: ”Eu quero justiça. O que fizeram com a minha filha foi uma crueldade. Ela não merecia isso”. Ela estava muito abalada com a morte da filha de 14 anos.

A polícia ficou responsável pelo caso e pediu para que o vídeo não seja compartilhado, em respeito a família que está sofrendo muito com a perda da jovem Raíssa que era amada por todos.

Detalhes sobre enterro e velório não foram divulgados ainda.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]