Mãe não aceita abortar o bebê diagnosticado com uma anomalia e ele nasce perfeito: “Nós Oramos Muito!”

Kate Mckinney, teve na gravidez o diagnóstico que seu filho seria portador de uma anomalia, higroma cístico, sendo orientada pelos médicos ao aborto.

Com a recente aprovação do governo de Nova York da lei do aborto, varias mães tem vindo a publico compartilhando suas histórias a fim de conscientizar mulheres a não optarem por esse procedimento. Uma delas é Kate Mckinney, que foi orientada pelos médicos a interromper a gestação por seu bebê ser portador de uma anomalia.

PUBLICIDADE

“Toda semana, eles queriam que eu abortasse. Fui perguntada várias vezes em cada consulta. Eles receberam um prêmio por me “vender” em um aborto? Com certeza parecia que sim.” Disse Kate.

Kate já era mãe de 3 meninas quando descobriu a gravidez em março de 2018, além da alegria de uma nova vida que estava por vir Kate e o Marido, Bobby, estavam tranquilos por conta de já não serem pais de primeira viagem. Porém ao realizar um exame para conhecer o sexo do bebê e as condições que estava a gestação, veio o choque: foi detectada uma anomalia.

PUBLICIDADE

“Naquele dia, não só descobrimos que iríamos ter um menino, mas também descobrimos que nosso bebê tinha uma anomalia, e precisávamos consultar um especialista imediatamente”, disse Kate.

Com 18 semanas de gestação ao consultar o especialista, Kate e Bobby souberam que o feto teria uma grande concentração de liquido atras da cabeça, o que impediria a sobrevivência do bebê. Mesmo o medico tendo explicado todos os riscos de manter a gestação com essas condições, Kate se recusou a aceitar a ideia do aborto.Com o seguir da gestação, foi indicado um exame de sangue, onde uma enfermeira ao ficar ciente do caso de Kate, a incentivou a não perder a fé. Kate naquele momento sentiu suas forças renovadas para seguir com a gestação e naquele momento, mais do que nunca, acreditando que era possível sim que um milagre acontecesse.

A cada semana Kate sentia sua fé renovada, e mesmo com os médicos a cada consulta confirmando o diagnóstico; Kate tinha certeza que Deus estava preparando ali em seu ventre aquele que seria o motivo da sua alegria, aquele que seria o seu milagre. Provando que para Deus não há limites.

Ao chegar as 26 semanas de gestação, não mediu o tamanho do higroma cístico, a anomalia do bebê, e então Kate temeu que poderia ter acontecido o pior. Ao questionar a médica sobre o motivo de não terem feito essa verificação, a médica de forma suave e gentil lhe disse que: “Já não havia mais o que medir!!”

O parto de Kate aconteceu em 5 de novembro de 2018, seu filho nasceu perfeito. Para a surpresa dos médicos que a ela atenderam, pediram vários exames para se certificarem que esta tudo bem com o pequeno; o resultado foi surpreendente, o bebê tinha apenas um sopro cardíaco, algo que era comum e que na maioria das vezes se resolve sozinho.

Imagem relacionada

Para o espanto dos médicos que durante toda a gestação de Kate, acreditavam que ele teria menos de 0,1% de chance de sobreviver devido a anomalia que teria sido diagnosticada, o filho de Kate nasceu saudável trazendo a alegria para a família e a certeza que a fé mudou o diagnóstico.“Acredito firmemente que minha Fé foi testada durante toda a gravidez, Deus queria ver se eu faria o impensável e concluiria seu plano. ele queria ver se eu creria Nele para curar nosso filho!!! Hoje eu digo, nunca fui tão feliz… sei que Deus cuida e está feliz em saber da minha fé!!!”  Disse Kate.

Eu escolhi a vida, eu escolhi a fé, Eu Escolhi a Deus!!! e irei orar por todas as mulheres de Nova York, pelos nossos representantes lá que decidiram por esse caminho e para que eles saibam assim como eu sei agora… Que para Deus nada é ímpossível!!! Completou Kate.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]