Manifestantes pedem a saída de Doria e o fim do isolamento em São Paulo

O movimento se iniciou na Assembleia Legislativa de São Paulo e só teve fim quando chegou na ponte Estaiada, que fica localizada na zona sul da capital.

Neste último Sábado, dia 18 de abril, ocorreu uma grande manifestação feita através de uma carreata pedindo que acabem com o fim do isolamento social.

Medida que teria sido adotadas pelo governo do estado de São Paulo e teriam sido prorrogada como forme de ajudar a combater a evolução da contaminação pela covid-19.

PUBLICIDADE

A manifestação teria se iniciado ás 12 horas, próximo á Assembléia legislativa do estado de São Paulo, a Alesp, e teve um trajeto de pelo menos 10 km e só terminou depois de 8 horas, já na ponte Ponte Estaiada, na zona sul do estado.

Os manifestantes pedem o fim do isolamento social e também a saída do governador do estado, João Doria, eles fizeram o protesto através de cartazes, faixas e até gritos.

PUBLICIDADE

Além disso o protesto contava como apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Conforme declarado pelos manifestantes, se o isolamento continuar poderá prejudicar severamente a economia do Brasil, principalmente no estado de São Paulo.

Sendo liderado pelo Movimento Avança Brasil, a manifestação chegou até até fechar vias de grande importância da grande São Paulo, como a famosa Avenida Paulista.

Conforme declarações da Policia Militar, que esteve á todo momento acompanhando o protesto, e afirmaram que o movimento foi pacifico e não souberam informar quantas pessoas ou veículos estavam participando do ato.

No estado de São Paulo a quarentena acabou sendo estendida, o governador João Doria anunciou a prorrogação da mesma na sexta feira, dia 17 de abril.

Até então, as medidas de isolamento social em São Paulo terminariam na quarta feira, dia 22 de abril, mas foram prorrogado até o dia 10 do mês de Maio.

O isolamento social foi uma medida tomada para tentar reduzir o avanço da contaminação do novo coronavírus, e por isso a medida foi aplicada no dia 24 de março em todo os 645 municípios de São Paulo.

Durante um entrevista, o governador João Doria falou sobre a sua decisão, que teria sido como uma maneira de evitar algum tipo de colapso nos sistemas de saúde, mesmo os públicos até os privados.

 

Escrito por Margareth Santos

Gosto de dedicar uma parte do meu tempo levando noticias e informações através de matérias relacionadas a tudo, inclusive de saúde, culinária, famosos e do mundo da maternidade.