Médico aposentado visita paciente que está em coma há quase duas décadas mesmo não trabalhando mais no hospital

'Clarinha' continua sem identificação após 17 anos internada em um Hospital Militar.

Um médico que trabalhava no hospital da Polícia Militar em Vitória no Espírito Santo tem demonstrado um coração enorme e o ser humano lindo que existe dentro dele, mesmo depois que se aposentou ele nunca deixou de visitar uma paciente chamada Clarinha que estaria internada no hospital em coma há 17 anos.

O médico que também carrega a patente de Coronel visita Clarinha sempre, pois em seu coração ainda há esperança de conseguir localizar um parente da jovem que vive nessa situação há tanto tempo.

PUBLICIDADE

Clarinha foi atropelada no dia 12 de junho do ano de 2000 no centro de Vitória, a menina foi socorrida e levada para o hospital, no entanto não conseguiram localizar nenhum parente dela e até então a jovem está em coma no hospital.

Depois de tantos anos cuidando da jovem que recebe os cuidados dos profissionais do hospital militar, o médico criou um vínculo com a paciente e não quis abandoná-la, mesmo não trabalhando mais no hospital ele a visita sempre pois é o médico que cuidou dela desde que ela chegou ao hospital.
Sempre que visita Clarinha o médico traz alguma coisa que as enfermeiras dizem que a jovem está precisando. O médico disse que só vai deixar de visitar a menina no hospital depois que a família dela foi encontrada, porque até então a única pessoa que ela tem é ele, que se importa muito com ela e mesmo que encontre os familiares de Clarinha ele disse que não vai abandonar a jovem completamente:

PUBLICIDADE

“Com certeza vou manter um elo com essa família que porventura a gente possa identificar, ajudando mesmo que seja a distância, vou continuar participando da vida dela, até como médico, poder visitar e ter uma interação já que a gente criou um vínculo de afetividade muito grande finalizou”.

A atitude do médico aposentado chama atenção pelo fato de ele demonstrar tanto carinho e dedicação a uma paciente a quem ele não conhece, não sabe nada a respeito.

Clarinha não teria ninguém se não fosse as visitas do doutor Coronel aposentado e mesmo em coma a jovem sente quando ele não pode visita-la de acordo com informações da enfermeira que disse ao próprio médico que ela apresenta febre quando ele não aparece. Que linda história!

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]