Menina de 2 anos morre, após receber “agulhada” no pescoço, no serviço de emergência em SP

Segundo parentes, a menina morreu depois de ser observada com sintomas de diarreia.

“A menina quando deu entrada no hospital, ainda estava correndo e brincando. Um pouco depois, chegaram para avisar, que ela teria morrido. Até ao momento, não houve qualquer resposta sobre o que terá acontecido”. O desabafo é de parentes de Ana Manoella, de dois anos de idade, que faleceu logo após que deu entrada numa unidade de saúde em Santos, no litoral de SP, com sintomas de diarreia.

Segundo o testemunho do tio da menina, a auxiliar de segurança, de 35 anos, conta que a menina deu inicio aos sintomas na noite da última segunda-feira. Conta ainda que ela evacuava apenas um líquido, e não conseguia ingerir qualquer tipo de alimento. Esse foi o motivo que a mãe, decidiu levar a menina ao médico.

PUBLICIDADE

Pelas 19h, a mãe da menina a levou até ao UPA, em Santos, onde a equipa médica de imediato a encaminhou para que ela recebe-se soro fisiológico. Segundo um relato, a equipa de plantão médica, decidiu perfurar o pescoço depois de não conseguirem acesso à veia a partir dos braços.

A auxiliar relata como foi o processo da menina:”Eles tentaram encontrar a veia nos braços dela, mas sem sucesso, foi então que seguiram furar através do pescoço. Foi exatamente nesse momento, que a menina começou a vomitar sangue. Retiraram do colo da mãe, e levaram de imediato para a urgência. Um tempo depois, avisaram que ela não tinha resistido”, afirma.

PUBLICIDADE

Muito abalada, a mãe da menina Clélia Pereira, conta ainda que a filha não apresentava qualquer histórico de doenças, e que era uma criança bastante saudável, no dia anterior aos sintomas, ela brincava normalmente, quando começou a dar os primeiros sintomas. “Sem qualquer explicação, não sabemos o que aconteceu,a levei ao médico porque ela não estava se alimentando. Nunca tinha tido nada”.

“Quando lhe foram furar, ela começou logo a vomitar, e a tiraram do meu colo. Depois me perguntaram se ela já tinha passado mal antes, mas estava apenas sem comer. Quando deu entrada estava brincando, e saiu morta, sem ninguém se explicar o motivo”, desabafa a mãe destrocada.

Ainda segundo um parente da menina, não foi dada qualquer informação sobre a morte, nada foi dito à família até ao momento. “Apenas avisaram a família que ela não tinha resistido, e veio a falecer, e depois foram embora. Os mesmos responsáveis, tem a certeza que eles vão trabalhar, no dia seguinte como nada fosse, mas o erro foi fatal de uma pessoa, que deixa uma família destrocada chorando”.

A prefeitura, enviou uma nota apontando que Ana Manoella, quando deu entrada no UPA, já estava em estado grave, e foi de imediato encaminhada para a ala de emergência, onde de imediato recebeu assistência necessária e foi de imediato monitorada, além disso ainda apresentou uma parada cardíaca, apesar que o atendimento foi prestado e a realização de todas as manobras de ressuscitar.

Prefeitura destaca ainda que o caso esta a ser acompanhado por uma equipa de quatro médicos. Ainda assim, em relação ao acesso da zona do pescoço, a equipa da unidade também ressalta que em função do quadro de desidratação profunda, que é comum puncionar que uma vida de acesso na veia jugular externa, ou mesmo jugular interna, que portanto não existe qualquer relação entre a medida e a causa do óbito.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!