Menina de dois anos fica azul e falece com objeto comum em qualquer casa

Quando falamos de criança todo cuidado é pouco, principalmente com as mais novinhas. Os pais não podem se distrair por um segundo que algo pode acontecer. Os pequenos merecem toda atenção do mundo porque qualquer normalidade pode chegar a causar um problema sério. Um segundo de distração basta para que o pior aconteça.

Em Oklahoma, nos Estados Unidos, para a infelicidade de um casal esse “um segundo” fez com que o pior acontecesse. Os pais, Rian e Stephanie se descuidaram por um breve momento da sua filha de dois anos e isso resultou em sua morte. O que de fato aconteceu foi que a menina estava doente e eles não perceberam a gravidade em tempo de salvar a vida da garotinha.

A criança aparentava estar bem, alegre e brincalhona como de costume, porém, de uma hora para outra acabou ficando doente e mudou sem nenhuma explicação plausível. Os pais notaram que sua temperatura subiu muito e pensaram ser apenas uma febre comum. Mas de repente algo muito estranho começou a acontecer, e a garotinha que tinha a pele bem clarinha ficou azul. Isso mesmo, toda azul, logo depois dessa mudança de cor ela passou a vomitar muito e com sangue. Os pais Rian e Stephanie rapidamente acionaram a emergência e uma ambulância levou sua filha ao hospital.

Assim que chegaram ao hospital os médicos identificaram o problema, a pequenina tinha engolido uma bateria de Lítio, essas baterias redondas utilizadas em relógios, balanças, alguns controles e brinquedos. Normalmente a criança engasga ao ingerir uma pilha, mas dessa vez a bateria ficou fundida no seu esôfago e isso resultou em danos que não tiveram reparos.

A corrente elétrica que essas baterias fornecem podem causar queimaduras se ficarem presas. A soda cáustica criada por essa corrente elétrica pode causar danos severos aos tecidos, levando a queimaduras, danos à pele e a uma hemorragia catastrófica.

Esse material é capaz de causar grandes danos ao esôfago de um adulto, deixando sequelas mesmo um mês após a remoção. Os médicos não conseguiram salvar a vida da garotinha, mesmo com sucesso na remoção a bateria de lítio. A hemorragia foi muito grande e isso resultou na sua morte.