Meningite meningocócica, saiba mais sobre a doença que matou o neto do ex-presidente Lula

Arthur neto do ex-presidente Lula faleceu devido a meningite meningocócica.

A triste notícia da morte do neto do ex-presidente Lula se espalhou pelo país nessa sexta-feira (1). Arthur Lula da Silva de 7 anos deu entrada no hospital nessa manhã com febre alta, o menino foi diagnosticado com meningite meningocócica e faleceu por volta das 12:11h devido ao agravamento do quadro infeccioso.

A meningite meningocócica é um tipo raro de meningite bacteriana, que é comumente causada pela bactéria Neisseria Meningitidis, a bactéria pode provocar

PUBLICIDADE

inflamação grave das membranas que cobrem o cérebro, gerando sintomas como febre muito alta, dor de cabeça forte e náuseas.

A doença costuma aparecer mais na época da primavera e também no inverno e as pessoas mais afetadas são as crianças e idosos, mas pode acontecer com qualquer pessoa, principalmente se estiver enfrentando uma doença que possa diminuir o seu sistema imunológico.

PUBLICIDADE

A doença tem cura, mas o tratamento deve ser iniciado o quanto antes, pois se houver uma demora no diagnóstico pode haver sequelas neurológicas graves que podem levar até mesmo a morte do paciente.
É preciso ficar atento aos sintomas apresentados pela meningite para que o tratamento seja iniciado imediatamente.

Os principais sintomas da meningite são:

Febre alta acima de 38º;

Forte dor de cabeça;

Náuseas e vômitos;

Rigidez na nuca, com dificuldade para dobrar o pescoço;

Sonolência e cansaço excessivo;

Dor nas articulações;

Intolerância à luz e ruídos;

Manchas roxas na pele.

Já em bebês é possível identificar a moleira mais tensa, agitação, choro intenso, rigidez do corpo e convulsões. Nos bebês é mais difícil identificar porque eles não sabem dizer o que estão sentindo, por isso é aconselhável levar a criança em um pediatra rapidamente principalmente se alguma dessas alterações vierem acompanhadas de febre ou alterações da moleira.

A prevenção da meningite meningocócica pode ser feita com o uso de vacinas para meningite incluídas no calendário de vacinação da criança e também através de outros cuidados como evitar locais com muitas pessoas, manter os cômodos da casa bem ventilados, ter boa higiene corporal e também evitar lugares fechados.

Se manter contato com outra pessoa infectada é importante fazer um exame para avaliar se não houve também a transmissão;.

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]