Ministério Público e Defensoria pedem interdição do Ninho do Urubu e bloqueio de R$50 milhões do Flamengo

Depois de anunciar que o caso da indenização das famílias das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu iria para a justiça, agora o MP e a Defensoria pedem também o bloqueio de R$50 milhões em contas do Club, além da interdição completa do Ninho do Urubu.

A disputa entre o Club de Regatas do Flamengo e o Ministério Público e Defensoria Pública do Rio de Janeiro esta longe de acabar.

Depois de anunciar que o caso da indenização das famílias das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu iria para a justiça, agora o MP e a Defensoria pedem também o bloqueio de R$50 milhões em contas do Club, além da interdição completa do Ninho do Urubu. A disputa judicial começou depois que o Club carioca se recusou a pagar as indenizações no valor estipulado pela Defensoria.

PUBLICIDADE

No pedido de interdição do Centro de Treinamento, o texto afirma que a propriedade deve permanecer fechada até obter liberação completa do Corpo de Bombeiros e Prefeitura do Rio (lembrando que o alojamento que pegou fogo e deixou 10 adolescentes mortos era irregular).
Enquanto isso, o bloqueio tem por objetivo garantir que o Club tenha meios de indenizar as famílias das vítimas, além de servir como fundos para realizar as mudanças necessárias em suas instalações para evitar que novas tragédias ocorram.

Sobre as novas medidas, o Club ainda não se manifestou. Leia a nota oficial divulgada pela instituição quando a Defensoria tornou público que o caso iria para a justiça por falta de cooperação do Flamengo.

PUBLICIDADE

Visualizar esta foto no Instagram.

NOTA OFICIAL – CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO Em relação às ações que vêm sendo desenvolvidas pelo Clube de Regatas do Flamengo no intuito de acelerar o processo de pagamento das indenizações às famílias dos atletas vitimados no último dia 8, gostaríamos de esclarecer que: 1) Na tarde desta quarta-feira (20/02 ) foi instaurado o procedimento de mediação no Núcleo de Mediação do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, sob a coordenação do Desembargador Cesar Cury; 2) Amanhã (quinta-feira), às 14h, será realizada no Tribunal de Justiça a audiência inicial com a participação de familiares dos 10 atletas que faleceram e dos 3 que sofreram ferimentos; 3) Neste primeiro encontro formal, a proposta é de que as famílias recebam todas as informações sobre a mediação, de maneira a que elas possam ter um amplo conhecimento sobre o processo; 4) Vale destacar que a mediação – neste formato e conduzida pelo Tribunal de Justiça – é o modo mais rápido, justo e eficaz para atender aos anseios dos familiares das vítimas da tragédia; 5) O Clube de Regatas do Flamengo seguirá atuando para que os familiares sejam indenizados de forma justa e no menor período de tempo possível, minimizando a dor e o sofrimento das famílias.

Uma publicação compartilhada por Flamengo (@flamengo) em

;

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]