Missionária da Assembleia de Deus se joga da ponte e tudo é filmado, ela lutava contra uma depressão profunda, vídeo

Várias pessoas oravam para que ela não se jogasse, mas foi em vão.

Uma mulher que é da igreja Assembleia de Deus apenas que foi identificada apenas por Maria Helena, deixou a todos chocados ao se lançar da ponte Madureira próximo a Rodoviária Novo Rio na semana. A missionária morava na Vila Kennedy,na Zona Oeste do Rio.

Maria Helena sofria de depressão profunda e resolveu dar cabo de sua vida tentando acabar assim com o sofrimento que a corroía por dentro.

PUBLICIDADE

Toda a situação tensa de seu suicídio foi filmada, até mesmo o momento em que a Helena se joga. O vídeo é triste e está viralizando na internet, pois infelizmente mostra a realidade de muitas pessoas que enfrentam a doença.

De acordo com as pessoas que a conheciam, Maria “era uma pessoa aparentemente feliz e linda, porém, triste por dentro”, relatou um conhecido da mulher.

PUBLICIDADE

Depois que foi identificada por alguns conhecidos, eles tentaram fazer com que Maria Helena desistisse de tirar sua própria vida.
Um cordão humano de orações começou ser formar para sensibilizar a missionária e fazê-la desistir de pular da ponte. Mas não teve jeito, assim que ela percebeu que alguém viria para retira-la da ponta, então ela se jogou.

Apesar de ter uma equipe de resgate no local, a missionária acabou morrendo na hora, um caso muito triste. O índice de suicídios no meio gospel é assustador. Principalmente, no meio dos líderes evangélicos.

Pastores, pregadores, pessoas de alta responsabilidade dentro das igrejas e com cargos de importantes tem se sentido impotente diante das lutas e desistido de suas vidas.

A Psicanalista Priscilla Ribeiro afirma:“No caso de pastores e pessoas religiosas, muitas vezes não são notados sintomas da doença, porque as próprias lideranças querem sempre mostrar um perfil de sucesso e bem estar. Até pra que sejam aplaudidos por seus seguidores”.

“Para muitos a doença é considerada por muitas pessoas como frescura. E por causa desse estigma, muitas pessoas encontram dificuldades para iniciar um tratamento.

Com ao avanço da doença, o sentimento que começa a surgir na mente do deprimido é acabar com esse sofrimento”.

A neuroquímica do depressivo é afetada e ele passa a não ter mais prazer de viver e só pensa em morrer. A forma como a pessoa enxerga a vida e a si mesmo, e os fatos que vão surgindo podem começar a doença que é muito silenciosa e já é considerada o mal do século”, afirmou a terapeuta e palestrante.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]