Motorista perde a vida após ser baleada, e carro desgovernado atropela três pedestres no Rio

Médica morreu após colidir com um poste em frente ao Cefet, no Maracanã. Mesmo ferida, mulher ainda tentou dirigir o veículo por alguns metros.

Uma médica de cinquenta e um anos faleceu depois de ser baleada em tentativa de assalto, atropelar 3 pessoas e colidir com um poste no Maracanã, Zona Norte do Rio, na manhã desta sexta-feira (10). Pessoas que estavam no local falam em pelo menos 15 disparos.

Mesmo alvejada nas costas, Danielle Vivian Lasmar de Almeida tentou prosseguir viagem, mas perdeu o controle do carro na Rua General Canabarro, em frente ao Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet). Ela ainda chegou a colidir em um hidrante e arrancou uma árvore.

PUBLICIDADE

Os feridos são um segurança do Cefet, um estudante da Faetec – que foram socorridos numa ambulância dos bombeiros – e uma funcionária da Petrobras, que foi atendida no local e não teve ferimentos graves.

Ainda não há relatos sobre o estado de saúde dos feridos, identificados pelos bombeiros como Ribamar Ferreira, de 58 anos, e um estudante de 16 anos. Eles foram encaminhados para o Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio.

PUBLICIDADE

   Assalto momentos antes

A polícia investiga se o furto do carro do engenheiro Gelson dos Santos tem relação com a morte da médica. De acordo com policiais, ele contou que estava parado no sinal da Rua Morais e Silva quando um rapaz armado tentou roubar o carro que estava na sua frente.
O motorista deu uma arrancada, e o ladrão veio em direção ao carro dele. Logo depois, o bandido que estava com uma pistola fez sinal pra que ele e o filho saíssem do carro e fugiu no veículo de Gelson.

O carro do engenheiro foi abandonado sobre a calçada a cerca de 150 metros de onde a médica atropelou 3 pessoas.

Mulher morreu aps ser baleada no Maracan Zona Norte do Rio na manh desta sexta 10 Foto Alba Valria Mendona G1

     Testemunhas

O professor do Cefet Rafael Ferrara relatou que estava dando aula, por volta das 7h30, quando uma aluna entrou correndo contando que um estudante tinha sido atropelado. Ele desceu e viu que estavam debaixo do carro um segurança e um aluno da Faetec.

“Um rapaz de camiseta preta, que disse ser policial militar, abriu a porta do carro pois achávamos que era uma professora. Não era, mas ela já estava morta”, disse o professor.
Médicos da Petrobras que trabalham no prédio em frente ao local do acidente contaram que, ao abrir o carro, Danielle já estava morta e que possuía marcas de tiros.

Testemunhas contaram que na hora do crime a Rua General Canabarro costuma ficar engarrafada e que o criminoso fugiu a pé.

Segundo o Centro de Operações, a Rua General Canabarro foi interditada às 10h para o trabalho da polícia e dos bombeiros.

Tia da motorista que morreu aps tentativa de assalto no Maracan consolada por colega de trabalho da sobrinha Foto Alba Valria MendonaG1

A motorista do carro envolvido no acidente no resistiu trs pessoas foram atropeladas Foto Alba Valria MendonaG1

Por volta das 6h30, um ônibus atingiu uma pessoa na Avenida Francisco Bicalho, no acesso à Avenida Paulo de Frontin e ao Viaduto dos Marinheiros. Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima morreu no local. Não havia informações sobre a identidade dela. A via foi liberada três horas depois, por volta das 9h30.

Atropelamento na Praa da Bandeira nesta sexta Foto ReproduoCOR

Já na Praça da Bandeira, outro atropelamento deixou uma pessoa ferida por volta das 8h30 na Rua Teixeira Soares. Não havia informações sobre a identidade ou estado de saúde dela.

 

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]