MPT e VALE fazem acordo para indenizar familias que perderam seus parentes, no rompimento da barragem de Brumadinho

Familiares receberão 700 mil reais em indenização pelos funcionários mortos no rompimento da barragem.

A VALE e o Ministério Público do Trabalho (MPT) assinaram nesta segunda-feira (15), um acordo para a mineradora reparar danos morais e materiais findo do rompimento da barragem, que aconteceu no dia 25 de janeiro.

O acordo foi feito pela 5° vara do trabalho, localizada em Betim. 22 pessoas continuam desaparecidas e outras 248 pessoas mortas.

PUBLICIDADE

Pai, mãe, filhos e cônjuge de funcionários vão receber 700 mil individualmente, 500 mil por dano moral e 200 mil por seguro adicional por acidente de trabalho, e irmãos 150 mil por danos morais.

De acordo com MPT (ministério público de trabalho), um homem que deixou esposa, dois filhos, pai, mãe e dois irmãos, juntos receberão 3,8 milhões.

PUBLICIDADE

Por dano material familiares que dependiam dos trabalhadores vão receber uma pensão ate 75 anos de idade, de acordo com a estimativa de vida segundo o IBGE.

O acordo é fixado em no mínimo 800 mil, mesmo que a renda mensal de ate os 75 anos não alcance esta projeção.

Conforme a previsão legal o pagamento será feito em parcela única, de 6% ao ano. O pagamento do dano moral será feito ate 6 de agosto de 2019, de 400 milhões, no mínimo.

Neste acordo também apresenta o emprego de 3 anos para empregados e terceirizados, e ajuda para o pagamento de crianças ate 3 anos que estão na creche de R$ 998,00, e auxílio educação de também R$ 998,00 para filhos de ate 25 anos.

Por último o tratado disponibiliza plano médico vigente em 25 de janeiro de 2020 para cônjuges ate que seus filhos completem 25 anos.

Para os pais dos funcionários falecidos, o atendimento médico será de acordo com os Moldes de Acordo Coletivo de Trabalho, disponibilizado, médicos, psicólogos, psiquiatra pós-traumático até alta médica.

A barragem de Brumadinho era considerada de “baixo risco” e “alto potencial de dano”, localizada na região de Córrego do Feijão a 65 km de Belo Horizonte,e pode entrar na história da maior tragedia da natureza, junto com a barragem de Mariana.

A última vítima foi encontrada nesta quinta-feira (11), e já foi identificado quase intacto, de acordo com os bombeiros, o corpo estava sem um membro.

Via: google.com

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]